Dostoiévski

Novembro é um mês cheio de datas significativas socialmente.

Apoie! Siga-nos no Google News

Novembro é um mês cheio de datas significativas socialmente. Como tudo no fim, fim do ano no caso, corre mais rápido para terminar, hoje já é o último dia de novembro e não podemos deixar de falar de Fiódor Dostoiévski.

Fiódor Dostoiévski foi um escritor, filósofo e jornalista russo. Tido como um dos maiores escritores da história, foi um “psicólogo”, no sentido de pesquisador da alma. Suas obras nos levam a sentir quase que a exatidão dos sentimentos e emoções das personagens e espelhar exatamente aquilo que já vivemos.

Nasceu em 11 de novembro – por isso dissemos que não podemos terminar novembro sem falar dele.

Dostoiévski é ímpar: influenciou diretamente a Literatura, a Filosofia, a Psicologia e a Teologia. Foram produzidas várias obras literárias e cinematográficas influenciadas por ele.. Também foi reconhecido como precursor dos movimentos nietzscheanismo, psicanálise, expressionismo, surrealismo, teologia da crise e existencialismo.



Seu reconhecimento popular também é imenso: é mundialmente conhecido, possui diversas estátuas, selos e moedas em sua homenagem e até hoje celebra-se em São Petesburgo o “Dia Dostoiévski”.

O Papa Francisco enfatiza que as pessoas devem “ler e reler Dostoiévski”, e a encíclica papal Lumen fidei, de 2013, incorpora trechos de O Idiota escolhidos pelo Papa Bento XVI.

Existe o clássico e também existe o moderno clássico. Fiódor Dostoiévski está para a literatura moderna russa e mundial o que Machado de Assis é para a literatura de língua portuguesa – e atualmente tornando-se mundialmente conhecida. Não podemos desprezar a leitura dos clássicos a pretexto de tempos atuais serem mais “avançados”. O desprezo aos clássicos é que faz os tempos atuais retrocederem.

OBRAS:

Romances
1846 — Gente Pobre (Бедные люди)
1846 — O Duplo (Двойник. Петербургская поэма)
1848 — Noites Brancas (Белые ночи)
1849 — Netochka Nezvanova (Неточка Незванова)
1861 — Humilhados e Ofendidos (Униженные и оскорбленные)
1862 — Recordações da Casa dos Mortos (Записки из мертвого дома)
1864 — Notas do Subterrâneo (Записки из подполья)
1866 — Crime e Castigo (Преступление и наказание)
1867 — O Jogador (Игрок)
1869 — O Idiota (Идиот)
1870 — O Eterno Marido (Вечный муж)
1872 — Os Demônios (Бесы)
1875 — O Adolescente (Подросток)
1881 — Os Irmãos Karamazov (Братья Карамазовы)

Novelas e contos
1846 — Senhor Prokhartchin (Господин Прохарчин)
1847 — Romance em Nove Cartas (Роман в девяти письмах)
1847 — A Senhoria (Хозяйка)
1848 — Polzunkov (Ползунков)
1848 — Coração Fraco (Слабое сердце)
1848 — O Ladrão Honesto (Честный вор)
1848 — Uma Árvore de Natal e uma Boda (Елка и свадьба)
1848 — A mulher alheia e o marido debaixo da cama (Чужая жена и муж под кроватью)
1848 — Noites Brancas (Белые ночи)
1849 — O Pequeno Herói (Маленький герой)
1859 — O Sonho do Tio (Дядюшкин сон)
1859 — Aldeia de Stiepantchikov e Seus Habitantes (Село Степанчиково и его обитатели)
1862 — Uma História Desagradável (Скверный анекдот)
1865 — O Crocodilo (Крокодил)
1873 — Bobok (Бобок)
1876 — O Mujique Marei (Мужик Марей)
1876 — Uma Criatura Gentil (Кроткая)
1877 — O Sonho de um Homem Ridículo (Сон смешного человека)

Não-ficção
1863 — Notas de Inverno sobre Impressões de Verão (Зимние заметки о летних впечатлениях)
1873–1878 — Diário de um Escritor (Дневник писателя)

SERVIÇO:
Na Livraria Universitária Kunda encontram-se todas as obras de Fiódor Dostoiévski traduzidas em nosso idioma.

LEIA TAMBÉM

Comentários estão fechados.