PR – Alerta, Fake News e Aumento da violência

Homeschooling
O deputado federal Diego Garcia (Podemos) informou que a Câmara do Distrito Federal aprovou em primeiro turno a regulamentação do Homeschooling. “Agora a votação vai ao 2º turno. E esse é mais um passo dado para que as famílias tenham direito à educação domiciliar. No Paraná, Cascavel também já aprovou a modalidade de ensino, no âmbito Federal, nós apresentamos um requerimento de urgência para que a matéria seja votada o quanto antes”, disse Garcia.

Alerta
O Secretário Estadual de Saúde, Beto Preto, alertou sobre o aumento de casos de covid-19 no Paraná. “Nessa última semana tivemos uma explosão no aumento de casos de covid-19. A doença tomou velocidade de contágio novamente. Hoje a nossa ocupação é pouco maior de 70%. O que mais nos preocupa no momento é a questão do distanciamento social, a conscientização das pessoas frente ao risco letal da doença”.

Fake News
O deputado federal Filipe Barros (PSL) afirma que enquanto membro da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) das fake news tem enfrentado as mais as mais absurdas acusações. “Como não podia deixar de ser, as mirabolantes teorias da conspiração, incluindo a figura mítica do “gabinete do ódio”, nunca foram comprovadas, reforçando que aquela CPMI serviria apenas para dar palanque político aos perdedores de 2018”, disse Barros.

Dossiê
A Revista do Legislativo Paranaense lançou a chamada para publicação de artigos para o dossiê “Políticas públicas para as cidades”. “A publicação do dossiê tem relevância acadêmica e prática, pois permitirá, sobretudo, o compartilhamento de experiências de formulação e implementação de políticas públicas nas cidades. As soluções políticas para os problemas das cidades podem ser encontradas na experiência de gestores públicos, que criaram e implementaram políticas específicas em suas cidades”, afirma o professor Alexsandro Eugênio Pereira.

Sem retorno
Com a alta dos casos de infecção pelo novo coronavírus no Paraná, a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) divulgou uma nota informando que está descartado o retorno das aulas presenciais, neste momento. “A agudização de casos e óbitos é reflexo da maior circulação de pessoas, dos recentes feriados prolongados e também da campanha eleitoral, que motivou a elevação das ocorrências de coronavírus no Estado. A transmissão ainda é comunitária”, diz a nota.

Aprovação de contas
A aprovação das contas de campanha não é fundamental para garantir a diplomação e posse dos eleitos no último domingo (15 de novembro). No entanto, alerta o advogado Gilmar Cardoso, é preciso fazer a prestação de contas até o próximo dia 15 de dezembro. A reprovação das contas não impede posse, mas serve de alerta ao eleitor em futuras campanhas políticas, destaca o advogado.

Presidência da Câmara
Passado o primeiro turno das eleições municipais, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM), decidiu intensificar as articulações para a eleição para presidência da Casa, em 1º de fevereiro de 2021. O parlamentar se reuniu com deputados do PT, PDT, PSB, PCdoB e PSOL para discutir uma agenda de votações na Câmara até o final do ano.

Vacina
Se no Brasil as primeiras 120.000 doses da CoronaVac chegaram nesta quinta-feira (19), mas ainda não há um acordo com o governo federal para iniciar a vacinação, na Europa as autoridades correm para começar a imunização ainda neste ano . Na França, foram destinados 1,5 bilhão de euros para a compra de vacinas contra a Covid-19 e há expectativa de que logo antes do Natal as pessoas de grupos de risco comecem a receber a dose.

Vacina II
A vacina produzida pela Universidade de Oxford em parceria com a farmacêutica AstraZeneca mostrou-se segura e induziu “uma forte resposta imune” em idosos durante a fase 2 dos testes. O resultado foi publicado na conceituada revista científica The Lancet . As primeiras análises já haviam sido divulgadas no final de outubro, mas faltava ainda a validação por outros cientistas, o que foi concluído. O fármaco de Oxford é um dos quatro que estão em testes de fase 3 no Brasil.

Aumento da violência
Após dois anos seguidos de recordes na queda de mortes, o Brasil volta a registrar aumento de violência em 2020. O Brasil teve uma alta de 4% nos assassinatos nos primeiros nove meses deste ano em comparação com o mesmo período do ano passado. Foram registradas 32.298 mortes violentas, contra 31.022 no mesmo período do ano passado. Ou seja, 1.276 mortes a mais.

Coluna publicada simultaneamente em 20 jornais e portais associados. Saiba mais em www.adipr.com.br.

error: O conteúdo é de exclusividade do H2Foz.