Adote uma árvore, é muito simples

Garrafa pet que iria para o lixo pode ser usada para irrigar árvores. Foto: Aida Franco de Lima

Aida Franco de Lima – OPINIÃO

O que é óbvio para uma pessoa, nem sempre é para outra. Tudo depende da bagagem cultural, da visão de mundo. Se para uma pessoa é impensável jogar lixo na rua ou maltratar um animal ou criança, para outras, tanto faz. Vivemos em uma sociedade em rede, hiperconectada à internet, e julgar o comportamento do outro sem conhecer seu histórico é muito comum. Vivencio de perto esse problema. Luto pela preservação ambiental desde quando me entendo por gente, não como carne há 40 anos e ainda assim sou julgada. Quando escrevo algo, e perco meu tempo lendo alguns comentários, me deparo com: “esse povo que não sai de trás do computador só sabe reclamar, aposto que nunca plantou uma árvore!”. Não conhecem e se conhecem ignoram meu histórico. E tenho certeza que com você leitor ou leitora, não é diferente. Já deve ter sido julgada (o) inúmeras vezes sem que conheçam sua índole, suas ações.

WHATSAPP – Assine a nossa linha de transmissão.

TELEGRAM – Entre em nosso grupo.

Mas o que isso tem a ver com adotar uma árvore? Tudo! Muitas vezes acreditamos que qualquer pessoa saiba a importância e necessidades de uma árvore. E nem sempre isso é real. Por exemplo, já notou que é muito comum as pessoas lavarem as calçadas e não darem importância a regar uma árvore que seca à sua frente? Adotar uma árvore, é o princípio de lhe dar condições mínimas: água e terra.

Nossas árvores urbanas, principalmente as mudas em desenvolvimento, precisam de nosso socorro. Além da seca excessiva, nossas árvores estão com suas raízes sufocadas por concreto. Além do mais, há quem mesmo valorizando-as, as prejudicam sem saber, quando colocam pequenos muros em seu redor, uma barreira para que o fluxo da água que escorre pelas vias as alcancem.

Não há como sai quebrando as muretas alheias, no entorno das árvores, mas há sim, meios de pedir ao Poder Público que fiscalize ou regularize a situação. Você já pensou se no Código de Posturas de sua cidade ou Lei Orgânica, diz algo a respeito? Já pensou em sugerir providências à Câmara, Prefeitura, ou Ministério Público? Um email, um telefonema para a Ouvidoria já podem ajudar.

Os locais ondem existiam árvores e, por algum motivo, foram cortadas estão vagos ou estão com árvores replantadas?

Levar uma criança para regar uma árvore é uma diversão aliada á Educação Ambiental
O pequeno Otávio já adotou um árvore para regar. Foto: Edcarla Pastor

Mas o mais simples, que qualquer criança pode fazer e vai adorar, é regar uma árvore! Crie esse hábito. Vai para a escola, vai caminhar, ao trabalho, andar com o cachorro. Leve uma garrafa de água e sacie a se de alguma que esteja no caminho. Você pode também deixar uma garrafa pet, virada para o chão, e lentamente a terra absorverá o líquido precioso.

São atitudes simples que podem inclusive promover a Educação Ambiental, quando alguém observar seu gesto, passar a repensar o modo como enxerga não só as árvores, mas o contexto geral.

Este texto é de responsabilidade do autor/da autora e não reflete necessariamente a opinião do H2FOZ.

Quer divulgar a sua opinião. Envie o seu artigo para o e-mail [email protected]

Gostou do texto? Contribua para ampliar o jornalismo em Foz do Iguaçu. ASSINE JÁ

Já escutou o último episódio do GUARÊ, o podcast do H2FOZ? OUÇA AGORA

É proibida a reprodução total ou parcial deste conteúdo sem prévia autorização do H2FOZ.

Aida Franco de Lima

Aida Franco de Lima é jornalista, professora e escritora. Dra. em Comunicação e Semiótica, especialista em Meio Ambiente. E-mail: [email protected] Veja mais conteúdo da autora.