Animais: maus tratos é indício de psicopatia

Ninguém é obrigado a gostar de animais, mas isso não dá o direito de maltratá-los. Foto: Divulgação

Aida Franco de Lima – ARTIGO

Gostar de animais ou não, é opinião pessoal. Porém, respeitá-los deveria ser no mínimo um dever moral. Há quem ame cachorro e odeia gatos. Há quem não goste de nenhum, domésticos ou silvestres. E há quem (diz) amar a todos. Porém, o mais grave é quando além de não gostar, o sentimento se transforma em crueldade.

WHATSAPP – Assine a nossa linha de transmissão.

TELEGRAM – Entre em nosso grupo.

Há alguns anos, em um estado americano, o FBI envolveu uma série de profissionais para identificar a pessoa responsável por costurar ou amarrar o bico de um pelicano. Mas a busca não era necessariamente para punir quem cometeu tamanha crueldade. A polícia estava atrás dos vestígios de um psicopata!

Não tem graça nenhuma causar dor a um animal e além disso, quem sente prazer com a dor do outro tem traços de psicopatia. Foto: Aida Franco de Lima

Estudos do FBI indicam que os matadores em série, ou serial killers, na infância,  presenciaram ou cometeram maus-tratos a animais e, antes de cometerem crimes contra humanos o fizeram à animais. Os animais são as vítimas mais frágeis, alvos fáceis.

Quando um animal sofre violência, o sinal de alerta foi disparado. Bom lembrar que, criança maltratar animais também não tem graça nenhuma! Se seu vizinho, um parente ou qualquer outra pessoa comete maus tratos, não se omita. A escalda da violência é recorrente.

Mas é importante que as pessoas saibam e tenham a quem denunciar crueldades. E que as autoridades competentes ajam. É o vizinho que deixa o cachorro na chuva, o outro que prende animal silvestre em gaiola, um outro que abandona filhotes, outro que comercializa ilegalmente, aquele que espanca toda vez que está mal humorado. E a quem denunciar? A quem recorrer? Como prevenir.

Seria importante a junção das mais variadas representações da comunidade para que esse importante passo fosse dado. Além de não saber ou não ter a quem recorrer,  o cidadão não quer se expor. Ele precisa de um canal, que tenha a proteção do anonimato e a certeza que sua denúncia será investigada.

Em meio a uma sociedade tão violeta na qual estamos inseridos, prevenir a violência contra animais é um importante passo a ser dado. Entre as rotas importantes, está a Educação Ambiental, a fim de incentivar o indivíduo a compreender que um animal não é objeto. A esterilização em massa de animais domesticados, pois quanto maior a população, maior o abandono e possibilidades de maus-tratos; e a aplicação da Lei.

Ah, mas não tem justiça nem para humanos e você está falando de animais? Se pensa assim, volte para o terceiro parágrafo.

Este texto é de responsabilidade do autor/da autora e não reflete necessariamente a opinião do H2FOZ.

Quer divulgar a sua opinião. Envie o seu artigo para o e-mail [email protected]

Gostou do texto? Contribua para ampliar o jornalismo em Foz do Iguaçu. ASSINE JÁ

Já escutou o último episódio do GUARÊ, o podcast do H2FOZ? OUÇA AGORA

É proibida a reprodução total ou parcial deste conteúdo sem prévia autorização do H2FOZ.

Aida Franco de Lima

Aida Franco de Lima é jornalista, professora e escritora. Dra. em Comunicação e Semiótica, especialista em Meio Ambiente. E-mail: [email protected] Veja mais conteúdo da autora.