Diesel é reajustado e passa de R$ 2,81 para R$ 3,06 o litro nas refinarias

Último aumento desse combustível foi em julho - Foto ilustrativa: Marcello Casal/ABr

Para o consumidor final, preço deve subir pelo menos R$ 0,22, pela mistura obrigatória de biodiesel.

O custo do diesel às distribuidoras sofrerá novo aumento a partir desta quarta-feira, 29, passando dos atuais R$ 2,81 para R$ 3,06 o litro, reajuste médio de R$ 0,25 por litro. A informação é da Petrobras, que noticiou aplicar o aumento depois de 85 dias sem alteração no preço desse combustível.

Com efeito, somente a parcela da empresa no preço praticado nas bombas, ou seja, o valor a mais cobrado dos consumidores, será de R$ 0,22. Isso porque é obrigatória a mistura de 12% de biodiesel e 88% de diesel A para a composição do produto comercializado nos postos de combustíveis.

Segundo a companhia, a Petrobras vinha evitando o repasse aos preços “internos devido à volatilidade externa causada por eventos conjunturais”, informou em comunicado à imprensa. “Esse ajuste é importante para garantir que o mercado siga sendo suprido em bases econômicas e sem riscos de desabastecimento”, afirmou a nota.

Conforme a empresa, o novo reajuste, que já havia sido cogitado no começo desta semana, “reflete parte da elevação nos patamares internacionais de preços de petróleo e da taxa de câmbio”. O último aumento do diesel foi no mês de julho.

Segundo a Petrobras, os componentes do preço do diesel cobrado na bomba são os seguintes:

  • realização da Petrobras: 52,1%
  • ICMS: 16%
  • custo do biodiesel: 13,9%
  • distribuição e revenda: 11,1%
  • CIDE, PIS/Pasep e Cofins: 6,9%

Nessa segunda-feira (27), o presidente da companhia, Joaquim Silva e Luna, veio a público informar sobre o percentual da Petrobras na composição dos preços dos combustíveis. Em relação ao diesel, confirmou que a empresa fica com 52%, sendo os outros 48% vinculados aos demais fatores de mercado.

Silva e Luna também disse que não haverá mudança na política de preços. “Continuamos trabalhando da forma como sempre. A maneira que a Petrobras acompanha o preço da paridade internacional do [petróleo tipo] Brent, as mudanças em relação ao câmbio, a análise permanente para ver se isso são [fatores] conjunturais ou estruturais, essa mudança não existe”, declarou.

Há pouco mais de uma semana, governadores de 20 estados emitiram uma nota conjunta em que afirmaram que o aumento do preço dos combustíveis é uma questão nacional. Usaram como exemplo o preço da gasolina, que foi reajustado em 40% nos últimos 12 meses, sem que tenha ocorrido acréscimo do percentual do imposto estadual.

Gostou do texto? Contribua para ampliar o jornalismo em Foz do Iguaçu. ASSINE JÁ

Já escutou o último episódio do GUARÊ, o podcast do H2FOZ? OUÇA AGORA

Paulo Bogler - H2FOZ

Paulo Bogler é jornalista e repórter do H2FOZ. e-mail: [email protected] Veja mais mais conteúdo do autor.

Paulo Bogler - H2FOZ tem 1348 posts e contando. Ver todos os posts de Paulo Bogler - H2FOZ