Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil

Gasolina fica 8% mais cara a partir desta terça; é o 3º aumento do ano nas refinarias

Diesel terá preço reajustado pela 2ª vez em 2021; GLP também subirá.

O preço da gasolina vendida nas refinarias sofrerá reajuste de 8% nesta terça-feira, 9, conforme anúncio da Petrobras. O combustível ficará R$ 0,17 mais caro e passará a ser comercializado por R$ 2,25 às distribuidoras.

Leia também:

Gasolina sobe de preço pela segunda vez no ano, em menos de 10 dias

É o terceiro aumento da gasolina nas refinarias, o que acaba refletindo no bolso do consumidor, no preço final praticado nas bombas de postos de combustíveis. No mês de janeiro, em menos de dez dias, o produto havia sofrido dois reajustes.

Com esse novo aumento, o óleo diesel sofrerá o segundo reajuste em 2021. Com a elevação de 6% autorizada pela Petrobras, o que representa cerca de R$ 0,13 por litro, o item passará a valer R$ 2,24 o litro nas refinarias.

O GLP (gás liquefeito de petróleo), o gás de botijão, também terá aumento no preço: cerca de 5%, o que dá R$ 0,14 por quilo. Com o reajuste, o gás de botijão custará R$ 2,91 por quilo (ou R$ 37,79 por 13kg), informou a Agência Brasil.

Em nota, a Petrobras afirmou que os valores cobrados nas refinarias são diferentes dos praticados no varejo. “Até chegar ao consumidor, são acrescidos tributos federais e estaduais, custos para aquisição e mistura obrigatória de biocombustíveis pelas distribuidoras”, pontuou.

“Além dos custos e margens das companhias distribuidoras e dos revendedores de combustíveis”, completou a empresa, em nota à imprensa. Não é o que dizem os revendedores dos produtos ao consumidor.

No Paraná, o Sindicombustível mantém uma campanha pública denominada “A culpa não é dos postos”, que traz dados sobre a composição dos preços da gasolina no estado. “A entidade esclarece que a maior parte do valor pago pelo litro do combustível é consumida por impostos, estaduais e federais”, enfatizou.

Conforme o sindicato dos postos de combustíveis, o preço da gasolina no estado tem a seguinte composição (*):

– impostos federais e estatuais: 45,52%;

– refinarias da Petrobras: 32,67%;

– etanol adicionado: 12,55%; e

– postos e distribuidoras: 9,26% (custos operacionais e margem de lucro).

* Com base no preço médio da gasolina, a partir de pesquisa da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), referente a março de 2019.

 

Paulo Bogler - H2FOZ

Paulo Bogler é jornalista e repórter do H2FOZ. e-mail: [email protected] Veja mais mais conteúdo do autor.

Paulo Bogler - H2FOZ tem 1174 posts e contando. Ver todos os posts de Paulo Bogler - H2FOZ