Pix inicia cadastro de chaves. Novo sistema promete pagamentos em até 10 segundos 

H2FOZ – Paulo Bogler

Disponibilidade, velocidade, segurança e multiplicidade de uso. Com base nessas premissas principais, o Banco Central do Brasil abre nesta segunda-feira, 5, o cadastro de chaves digitais para o Pix, nova forma de pagamentos instantâneos. Para muitos, o sistema poderá substituir a TED, que leva duas horas para compensação, e o DOC, liquidado no dia útil seguinte.

O Pix permitirá transferências de dinheiro entre pessoas físicas ou jurídicas, para fazer e receber pagamentos. De acordo com o BC, funcionará 24 horas, sete dias por semana, e reduzirá para dez segundos o tempo de liquidação entre estabelecimentos com conta em bancos e instituições diferentes. 

“As transferências ocorrem diretamente da conta do usuário pagador para a conta do usuário recebedor, sem a necessidade de intermediários, o que propicia custos de transação menores”, informa o Banco Central. O procedimento será liberado aos usuários a partir de novembro deste ano. 

Clientes já podem, a partir de hoje, registrar chaves digitais de endereçamento para enviar ou receber recursos. Até o momento, 644 instituições financeiras estão integradas ao novo sistema, entre bancos, cooperativas, redes de pagamentos, fintechs, financeiras, entre outras. 

“As chaves são o ‘método fácil e ágil’ de identificação do recebedor. Desta forma, o pagador não precisará de dados como número da instituição, agência e conta para fazer uma transferência”, destaca a Agência Brasil. Para cadastrar-se, basta acessar o aplicativo da instituição em que a pessoa tem conta e fazer o registro.

Esse procedimento permite vincular a uma conta específica uma das três seguintes informações: número de telefone celular, e-mail ou –  CPF/CNPJ. 

O Banco Central coordena a implantação do novo sistema. “O principal objetivo do BC com essa ação é aumentar a eficiência e a competitividade do mercado de pagamentos de varejo no Brasil, por meio da criação de um novo meio de pagamento que ajudará no processo de eletronização do mercado brasileiro”, expõe a instituição financeira brasileira. 

Como serão as operações do Pix:

– 24h, todos os dias da semana e do ano;

– 10 segundos para o tempo de liquidação de pagamentos entre estabelecimentos com conta em bancos e instituições diferentes;

– transações poderão ser feitas por meio de QR Code (versão avançada do código de barras lida pela câmera do celular) ou com a chave cadastrada;

– maior agilidade em relação a sistemas atuais de pagamento (TED e DOC); e

– vantagens para empresas em relação ao pagamento por cartão de débito, já que o consumidor, ao pagar, não precisará ter conta em banco, como ocorre com os cartões. Bastará abastecer a carteira digital do Pix para enviar e receber dinheiro.

Clique para acessar a página do Pix
 

(Com informações da Agência Brasil e do Banco Central)

error: O conteúdo é de exclusividade do H2Foz.