Subsídio à Petropar gera crise com postos privados do Paraguai

Setor privado reclama da "concorrência desleal" da Petropar. Foto: Agência IP

Sindicato do setor já anunciou redução no horário de atendimento e possíveis demissões.

O Senado paraguaio aprovou na quarta-feira, 23, o projeto de lei do governo que subsidia a venda de diesel e de gasolina nos postos da estatal Petropar. Mas, se a medida atende caminhoneiros e outros profissionais do volante, desagradou os postos de combustíveis do setor privado.

WHATSAPP – Assine a nossa linha de transmissão.

TELEGRAM – Entre em nosso grupo.

Um detalhe importante é que, embora seja a líder do mercado distribuidor de combustíveis, os postos da Petropar representam apenas 12% dos postos de serviço do país, e estão mais concentrados no Departamento Central, o mais povoado e desenvolvido industrialmente, junto com Assunção.

DEMISSÕES

Na quarta-feira mesmo a Associação de Proprietários de Postos de Serviços divulgou comunicado no qual anunciou que, a partir desta quinta-feira, 24, o atendimento será apenas da 6h às 14h, por tempo indefinido.

No comunicado, de acordo com o jornal Última Hora, os postos privados também informaram que, com a redução do horário de atendimento, farão “cortes na carga de trabalho”, isto é, vão demitir pessoal.

Até ontem, o funcionamento dos postos era em três turnos, de 6h às 14h, de 14h às 22h e de 22h às 6h. Agora, haverá apenas um turno.

O presidente da associação, Miguel Corrales, disse ao Última Hora que o setor “está trabalhando com prejuízo” e que a Petropar está “fazendo uma competição desleal”.

CONTRABANDO E CORRUPÇÃO

Ainda no comunicado, a associação repudia o contrabando e os negócios ilícitos no Paraguai, que prejudicam toda a população, e assinala que há uma “absoluta estratégia para acompanhar com transparência, seriedade e agilidade a crise microeconômica, por parte do governo”.

“Os empresários continuamos aguentando duras variáveis, como a inflação, a seca, o contrabando, a corrupção em todos os níveis, os efeitos da pandemia, da guerra entre Rússia e Ucrânia, que afeta todo o comércio internacional. A tudo isso devemos fazer frente com as ferramentas que contamos, que se tornam insuficientes com o tempo, e seguimos esperando que a lei seja aplicada de maneira imparcial com aquele que a viola.”

Os donos de postos exigem que o governo desenvolva políticas públicas ‘claras” e que as instituições do Estado funcionem com maior eficiência para toda a cidadania, informa o Última Hora.

SUBSIDIO

O projeto de lei, aprovado pelo Senado paraguaio, prevê compensação à Petropar pela venda de óleo diesel e de gasolina de 93 octanas (a mais vendida).

O projeto também aumenta o imposto sobre as importações de combustíveis, de forma a recuperar a compensação à Petropar, a partir do momento em que melhorarem os preços internacionais dos combustíveis.

Desde quinta-feira da semana passada, a Petropar reduziu em 1.000 guaranis o preço do litro do óleo diesel (R$ 0,69, pelo câmbio oficial) e em 800 guaranis o litro da gasolina (R$ 0,59).

Gostou do texto? Contribua para ampliar o jornalismo em Foz do Iguaçu. ASSINE JÁ

Já escutou o último episódio do GUARÊ, o podcast do H2FOZ? OUÇA AGORA

É proibida a reprodução total ou parcial deste conteúdo sem prévia autorização do H2FOZ.

Claudio Dalla Benetta - H2FOZ

Cláudio Dalla Benetta é jornalista e repórter do H2FOZ. e-mail: [email protected] Veja mais mais conteúdo do autor.