Avanço da covid-19 preocupa educadores da rede estadual na volta às aulas

Medida acompanha recomendação do Ministério da Saúde - Foto: Agência Estadual de Notícias

Categoria defende o comprovante de vacina para o retorno mais seguro às escolas; o estado não pode obrigar os estudantes a se vacinar, sustenta o governo.

Com a explosão de novos casos de covid-19, a volta às aulas no próximo dia 7 de fevereiro preocupa professores e funcionários de escolas da rede estadual. A categoria reafirma a importância da apresentação do comprovante de vacina como meio de dar maior segurança para a comunidade escolar, medida não instituída até o momento pelo Governo do Paraná.

WHATSAPP – Assine a nossa linha de transmissão.

TELEGRAM – Entre em nosso grupo.

Conforme a APP-Sindicato/Foz, o Governo do Estado demonstra que não pretende pedir o comprovante da imunização como documento necessário neste início de ano letivo. Devido à atual aceleração da doença, a entidade defende a apresentação do documento por educadores e estudantes dos colégios do estado. No Paraná, houve aumento de 1.600% da média móvel de casos de covid-19 em apenas duas semanas.

Assim como em todo o Paraná, as cidades da região de abrangência do Núcleo Regional de Educação (NRE) de Foz do Iguaçu enfrentam a drástica alta de novos casos da doença. A situação é agravada com as ocorrências da gripe H3N2, que provoca sérios problemas respiratórios e que está com transmissão comunitária em nível estadual.

Com mais de 7,2 mil casos confirmados, janeiro já é o mês com o maior número de ocorrências da infecção provocada pelo coronavírus em Foz do Iguaçu, durante toda a pandemia. Outras cidades da região também enfrentam o crescimento da doença, a exemplo de Medianeira, que soma mais de 450 casos ativos, conforme boletim epidemiológico desta terça-feira, 18.

Para a presidente da APP-Sindicato/Foz, Janete Batista, o comprovante vacinal traz mais segurança para aqueles que, a partir de 7 de fevereiro, estarão dentro das salas de aula e no convívio coletivo. “Rejeitar esse documento de comprovação mostra a falta de cuidado de Ratinho Junior com os servidores da educação, alunos e seus familiares”, frisa.

Convívio na escola

Para a dirigente sindical, o governo deve adotar a apresentação do comprovante vacinal nas escolas como forma de enfrentamento à pandemia e também como mensagem de incentivo à vacinação em massa. “É o mínimo a se fazer para manter alguma segurança dos que convivem dentro da escola”, disse Janete.

A presidente da APP-Sindicato/Foz lembra que não houve investimento para melhorar a infraestrutura dos colégios para responder ao atual momento de emergência em saúde pública. “Nem mesmo educadores foram contratados. Pelo contrário, perdemos funcionários e a terceirização de agentes educacionais mostrou-se um desastre.”

“Esse serviço, que foi entregue para empresas, está custando mais caro e a qualidade é menor”, enfatiza. “Nesse contexto, com estrutura inadequada, falta de servidores e aumento de novos casos de covid-19, é temerário o retorno às salas de aula sem os menores cuidados da parte do governo. É expor a saúde e a vida de educadores e alunos”, conclui Janete Batista.

Posição do governo

Em nota sobre o tema, a Secretaria Estadual de Educação (Seed) afirmou que Paraná possui um dos melhores índices de vacinação do Brasil. Ressalta que, apesar do aumento expressivo de casos de covid-19, não houve crescimento significativo de internações e mortes.

“Assim, diante do cenário atual, o Estado decidiu manter as medidas em vigor, sem novas restrições”, diz a nota. “A regra continua sendo a de testar e, em caso de teste positivo, entrar em isolamento. Isso ajuda a quebrar o ciclo de contágios”, prossegue.

A gestão também decidiu que “não será exigido o certificado de vacinação contra a Covid-19 de crianças e adolescentes”, frisa a nota da Seed. “Como a vacina é opcional para todos e todas, o Estado não pode obrigar os estudantes a se vacinar. Porém, as vacinas obrigatórias continuarão sendo exigidas, como já estabelece a legislação em vigor”, finaliza.

Gostou do texto? Contribua para ampliar o jornalismo em Foz do Iguaçu. ASSINE JÁ

Já escutou o último episódio do GUARÊ, o podcast do H2FOZ? OUÇA AGORA

É proibida a reprodução total ou parcial deste conteúdo sem prévia autorização do H2FOZ.

Assessoria

Este texto é de responsabilidade de assessoria da imprensa institucional e/ou empresarial. Veja mais conteúdo do autor.