Comando local de greve do IFPR Foz promove formação sobre autismo

Entre as principais reivindicações dos professores e técnicos-administrativos em educação (TAEs) está a recomposição salarial acumulada desde 2016.

Apoie! Siga-nos no Google News

Enquanto aguarda suas reivindicações serem atendidas pelo governo federal, o Comando de Greve do Instituto Federal do Paraná (IFPR) – Campus Foz do Iguaçu – vem promovendo diversas atividades em prol da comunidade. Na quinta-feira (16), por exemplo, o grupo organizou uma formação focada no transtorno do espectro autista (TEA) no ambiente escolar, direcionada aos profissionais de educação da instituição.

O evento contou com uma palestra da professora Alexandra Pillar Milani, especialista em inclusão, que abordou situações específicas de manejo e relacionamento com alunos autistas em contextos educacionais. “É sempre uma honra e uma alegria compartilhar minha experiência e conhecimentos sobre inclusão. Fazer parte desse processo de transformação me deixa realmente muito feliz e espero seguir junto nessa caminhada rumo à inclusão das pessoas neurodivergentes”, ressaltou Alexandra.

A mediação do evento foi conduzida pelo professor Matheus Amparo, de Educação Especial do IFPR e doutor em Educação, que lembrou a defasagem orçamentária diante do crescente número de diagnósticos e o consequente aumento da demanda por profissionais que atuam na educação para atendimento desses alunos. O evento, segundo ele, “foi importante para que os docentes e técnicos-administrativos pudessem compreender o que é o transtorno do espectro autista (TEA), suas principais características e como lidar com esse público no ambiente escolar”.

Para Luciane Alves, servidora administrativa do IFPR e mestre em Tecnologia, Gestão e Sustentabilidade, o evento foi sensibilizador ao demonstrar que a escola deve ser um local de acolhimento para alunos autistas. “As experiências exitosas relatadas no encontro mostraram que é possível buscar mais conhecimento para oferecer intervenções que promovam não só a inclusão desses estudantes, mas também impactem a formação cidadã dos demais alunos, o que está alinhado com a missão, visão e valores do IFPR como instituição de ensino e formação social.”

A ação teve a participação da Associação de Pessoas Solidárias aos Autistas (Aspas), uma entidade local que atua na conscientização e capacitação para o atendimento de autistas. Flávio Pedrosa, um dos organizadores do evento, destacou que a presença da associação está alinhada com os objetivos das ações do comando de greve: dar visibilidade e apoio às entidades dedicadas às causas de temas debatidos nas atividades.

Solidariedade ao RS

O Comando Local de Greve do IFPR também está participando de uma corrente de solidariedade para ajudar as vítimas das enchentes no Rio Grande do Sul. Os participantes estão envolvidos nos processos de coleta, triagem e organização das doações, em conjunto com outros voluntários, na sede do Corpo de Bombeiros da Vila A. A ação contou com a participação ativa dos alunos do IFPR, demonstrando o compromisso e a solidariedade da comunidade acadêmica com os necessitados.

Negociações

Professores e técnicos-administrativos em educação (TAEs) de instituições de ensino federais em todo o Brasil estão em greve. As principais reivindicações são pela recomposição salarial e reestruturação da carreira. Os professores analisam a nova proposta feita pelo governo federal na quarta-feira (15).

Já nesta terça-feira (21), será a vez de o Ministério da Gestão reunir-se com os representantes dos técnicos-administrativos em educação das universidades federais.

LEIA TAMBÉM

Comentários estão fechados.