Hospital Municipal afasta médico que atendeu professora Viviane Jara Benitez

Servidora pública faleceu após segunda cirurgia, e familiares apontam possível erro médico; sindicância irá apurar.

Apoie! Siga-nos no Google News

Responsável pela gestão da unidade, a Fundação Municipal de Saúde (FMS) afastou temporariamente o médico responsável pelo atendimento da professora Viviane Jara Benitez, que faleceu no Hospital Municipal, na manhã desse domingo, 26, aos 39 anos. Ela passou por duas cirurgias, uma pré-marcada e a outra de emergência – após complicações no seu estado de saúde.

LEIA TAMBÉM: Foz do Iguaçu perde Viviane Jara, presidente do Sinprefi

A instituição hospitalar informou que foi aberta uma sindicância para apuração das circunstâncias. “Caso seja constatada falha ou irregularidade na conduta, serão tomadas as devidas providências administrativas, éticas e legais” contra o médico, relatou a nota à imprensa divulgada pela FMS.

A primeira cirurgia, eletiva, ocorreu em 16 de fevereiro, no Hospital Municipal. “Mas devido a complicações decorrentes foi necessário realizar uma segunda cirurgia de emergência, por isso ainda estava internada”, informou o Sindicato dos Professores e Profissionais da Educação da Rede Pública Municipal de Foz do Iguaçu (Sinprefi), que era presidido pela docente.

De acordo com a entidade sindical, o hospital reportou que o falecimento seria decorrente de parada cardíaca. A perda revoltou a família de Viviane, que sustenta possível erro médico. Uma de suas primas registrou boletim de ocorrência na Polícia Civil para investigação do caso, relatando que o segundo procedimento operatório seria para conter hemorragia decorrente do primeiro.

A professora e dirigente sindical Viviane Jara Benitez era querida e respeitada pela firmeza com que defendia a educação pública, os direitos e as condições de trabalho dos profissionais da educação. Sua morte prematura causou grande comoção na comunidade, sentimento que transpassa a docência municipal.

A cidade está em luto oficial de três dias, em reconhecimento à contribuição deixada para a coletividade pela professora. A prefeitura, a Câmara de Vereadores e inúmeras instituições da sociedade e agentes públicos externalizaram condolências pela perda para Foz do Iguaçu, a mesma postura de amigos e conhecidos de Viviane. Aulas foram suspensas no período da tarde, para as últimas homenagens e despedidas.

“Está difícil de acreditar, e mais difícil de aceitar. Não perdemos mais uma. Perdemos UMA grande Mulher. Que lutou desde sempre”, anotou em suas redes sociais a professora de História de escolas estaduais Aline Torres, que era amiga de Viviane Jara Benitez. “Vivi era luz”, anotou.

“Viviane deixa o legado de coragem e luta em defesa da educação pública, gratuita e de qualidade. Sentimos muito. Área da educação da Unila em luto”, escreveu Marcia Cossetin. Ela é servidora pública na Universidade Federal da Integração Latino-Americana (Unila). “Combativa e incansável lutadora das causas dos servidores”, descreveu o Sinprefi em nota de pesar.

Formada em Pedagogia pela Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste/Foz), Viviane Jara Benitez presidia o Sinprefi desde 2022, quando sua chapa obteve mais de 90% dos votos. Pós-graduada em Alfabetização e Educação Infantil, trabalhou nas escolas municipais Érico Veríssimo e Jardim Naipi. Participou ativamente dos movimentos em defesa do ensino público, democracia e melhores condições de vida para a população.

LEIA TAMBÉM

Comentários estão fechados.