Nas páginas da história: 10 livros para entender Foz do Iguaçu

Como parte do especial de aniversário da cidade, o H2FOZ preparou uma lista com títulos sobre a história da Terra das Cataratas.

Apoie! Siga-nos no Google News
Clique no selo e viaje pela série especial de aniversário!
VEJA A COBERTURA DE ANIVERSÁRIO

Embora ainda siga sem um museu para chamar de seu, Foz do Iguaçu tem livros que ajudam a entender sua história. Alguns já não são encontrados facilmente, devido à tiragem limitada. A maioria pode ser achada na Livraria Kunda (Rua Almirante Barroso, n.º 1.473) e na Biblioteca Pública Municipal (Rua Benjamin Constant, n.º 62).

Leia também:
Ex-barrageiro resgata memórias dos trabalhadores que construíram Itaipu

APOIO ESPECIAL

Na lista abaixo, separamos títulos que vão de compilações abrangentes sobre a cidade, como as obras de Perci Lima e Micael Alvino da Silva, a momentos específicos, como a formação da Colônia Militar e a construção da Ponte Internacional da Amizade. Boa leitura!

Breve História de Foz do Iguaçu
Micael Alvino da Silva – Epígrafe, 2014.
O autor aborda, em capítulos curtos e de fácil leitura, arco que vai do passado colonial do Oeste ao megaprojeto da usina de Itaipu e aos tempos presentes. Micael também tem livros sobre a Tríplice Fronteira e a passagem de Santos Dumont pelas Cataratas do Iguaçu.


APOIO ESPECIAL

Foz do Iguaçu no Contexto da História
Perci Lima – publicado pelo próprio autor, 2010.
Vereador e prefeito de Foz no período da redemocratização, Perci Lima foi um dos pioneiros em publicar sobre a história da cidade. A edição de 2010, com quase 300 páginas, traz como bônus um valioso acervo de fotos sobre o esporte no município.

Naufrágios e Comentários
Alvar Núñez Cabeza de Vaca – L&PM, 2007.
Publicada em 1555, a obra foi um best-seller do século 16, devendo ser interpretada, no século 21, com as devidas ressalvas. Tem como valor, para a história da região, a descrição do Oeste do Paraná em 1542 e o primeiro registro histórico das Cataratas do Iguaçu.

Descoberta de Foz do Iguaçu e Fundação da Colônia Militar
José Maria de Brito – Travessa dos Editores, 2005.
Nome de avenida em Foz do Iguaçu, José Maria de Brito participou da expedição que fundou a Colônia Militar, em 1889. Escrito originalmente na década de 1930, traz anexo com dezenas de relatos das dificuldades enfrentadas pelos primeiros moradores.

A Fronteira como Destino de Viagem: a Colônia Militar de Foz do Iguaçu (1888–1907)
Antonio Marcos Myskiw – Editora Unicentro, 2011.
Fruto de ampla pesquisa do autor, a obra mergulha no período que deu origem à atual cidade de Foz do Iguaçu, retratando temas como a disputa pela posse da terra e a violência do “velho oeste” de mais de um século atrás.

Muitas das obras aqui citadas podem ser encontradas na Livraria Kunda, que tem seção especial sobre a história da região. Foto: Guilherme Wojciechowski/H2FOZ
Muitas das obras aqui citadas podem ser encontradas na Livraria Kunda e na Biblioteca Pública Municipal. Foto: Guilherme Wojciechowski/H2FOZ

Moisés Bertoni – Uma Vida para a Ciência
Evaldo Buttura e Aline Niemeyer – Epígrafe, 2012.
Suíço de nascimento, Bertoni vivia à beira do Rio Paraná, na atual Presidente Franco, e foi uma das figuras mais influentes da região no final do século 19 e início do século 20. Faleceu em Foz do Iguaçu, em 1929, em imóvel que ainda aguarda tombamento.

O Homem das Cataratas – A Biografia de Franz Kohlenberger
Analice Kohlenberger Oro e Ezídio Oro Junior – Sem editora, 2015.
A biografia de Franz Kohlenberger, pioneiro do turismo de Foz, é também um álbum de tirar o fôlego, com fotos de Franz pendurado nas Cataratas, em vários ângulos e posições. Imprescindível para compreender a evolução do turismo no Parque Nacional do Iguaçu.

História da Ponte Internacional da Amizade – Representações de um Espaço Binacional
Milena Mascarenhas – Paco Editorial, 2021.
“Os muros isolam o presente. As pontes abrem o futuro”, diz a frase de Waldo Vieira, na abertura do livro que aborda a primeira grande obra de engenharia a unir os povos de Brasil e Paraguai em prol do desenvolvimento da região.

Onde foi que vocês enterraram nossos mortos?
Aluízio Palmar – Travessa dos Editores, 2005.
Brasil, Paraguai e Argentina viveram, na década de 1970, períodos simultâneos de ditaduras militares. Fundador do jornal Nosso Tempo, Aluízio Palmar relata a busca pelos corpos de militantes assassinados em uma emboscada no Parque Nacional do Iguaçu.

Foz do Iguaçu: do Descaminho aos Novos Caminhos
Denise Paro – Epígrafe, 2016.
Colaboradora do H2FOZ, a jornalista Denise Paro redigiu essa obra, em 2016, no ritmo de uma grande reportagem. Os capítulos finais abordam questões do presente e do futuro, como a transformação de Foz do Iguaçu e Ciudad del Este em polos universitários.

Nota do autor da lista

Se você chegou até aqui, conto que muitas obras (que não deixam em nada a desejar às citadas acima) ficaram de fora da lista só por limitação de espaço. No futuro, com a criação de uma coluna específica sobre livros, pretendo abordá-las no H2FOZ.

Um relato imperdível sobre o cotidiano da cidade, antes e após a construção da usina de Itaipu, é a biografia Dona Maria, por Maria, que narra a trajetória de Maria Úrsula Christófolli de Oliveira, fundadora da confeitaria Marias & Maria.

Sobre as nossas belezas naturais, o jornalista Jackson Lima publicou, em 2019, o livro 7 Arcos, 3 Degraus – Tudo o que você ainda não sabe sobre as Cataratas do Iguaçu, um verdadeiro almanaque com fatos da história e conhecimentos variados.

Já a questão dos agricultores afetados pela formação do lago e pela expansão do Parque Nacional do Iguaçu é abordada em duas obras: Expropriados, Terra e Água: o Conflito de Itaipu, de Guiomar Ines Germani; e Memória dos Desapropriados do Parque Nacional do Iguaçu, de Lara Luciana Leal Seixas.

Gostou da lista? Tem sugestões? Deixe seu comentário.

LEIA TAMBÉM
1 comentário
  1. Paulo Beato Ames Diz

    Só tenho o do José Maria de Brito

Comentários estão fechados.