Com pressões de todo lado, Abdo disse que "vai atender a cidadania". Foto Agência IP

Cresce tensão política no Paraguai: até governistas esperam o que Abdo fará pra decidir futuro dele

O presidente do Paraguai, Mario Abdo Benítez, está acuado. De um lado, sofre pressões políticas, inclusive de aliados, para mudar o rumo de seu governo e atender as queixas da população, da qual tem cada vez menos apoio, como mostrou a manifestação de sexta-feira, que reuniu milhares de pessoas em Assunção.

Neste sábado, 6, o presidente está reunido com todos os seus ministros, aos quais já pediu que ponham seus cargos à disposição, como informou o ministro de Tecnologias da Informação e Comunicação, Juan Manuel Brunetti.

Segundo o ministro, o presidente “escutou a cidadania”. “Que o presidente da República peça a todos de seu gabinete que ponham seus cargos à disposição é um fato político muito importante”, disse Brunetti. Mas acrescentou: “Evidentemente, vai haver uma avaliação e o presidente vai anunciar quais serão as mudanças, em que momento e de que maneira”.

A informação da agência de notícias do governo paraguaio (IP) é de que o presidente vai anunciar ainda neste sábado as mudanças que vão acontecer.

A crise política se acirrou nos últimos dias por causa da falta de insumos e medicamentos nos hospitais públicos, para tratamento de pacientes com covid-19. Além disso, o governo é criticado por não ter ainda conseguido vacinas (só 4 mil doses da russa Sputnik V).

Mas, talvez não por coincidência, chegou  neste sábado a Assunção um lote de 20 mil doses de vacina Coronavac, doadas pelo governo do Chile. Essas doses permitirão imunizar mais 10 mil trabalhadores que atuam diretamente no combate ao coronavírus.

Chegada providencial: 20 mil doses de vacina doadas pelo Chile desembarcaram em Assunção. Foto Agência IP

JUÍZO POLÍTICO

Enquanto isso, os integrantes do Partido Liberal Radical Autêntico, de oposição, aprovaram um pedido de juízo político contra o presidente. Abdo já esteve em situação semelhante em 2019, mas agora a situação está ainda mais grave. Juízo político é quase sinônimo de impeachment, no Paraguai.

No entanto, os aliados preferem esperar como fica a situação, como disse o deputado Walter Harms, do Partido Colorado (ele é da “facção” Honor Colorado, cujo líder é o ex-presidente Horacio Cartes). Ele contou que na segunda-feira, 8, a bancada vai se reunir para analisar a situação.

Disse que não será fácil tomar uma decisão, mas esperam que o presidente possa mudar o rumo de sua administração. O cartismo, lembra o Última Hora, já salvou Abdo da ameaça de um juízo político em 2019.

O conselho do deputado é que Abdo “deixe de endeusar a seus atores políticos e de sair a pintar um país de maravilhas. Há homens que precisam ser mudados, porque em vez de ajudar, atrapalham”, afirmou.

Claudio Dalla Benetta - H2FOZ

Cláudio Dalla Benetta é jornalista e repórter do H2FOZ. e-mail: [email protected] Veja mais mais conteúdo do autor.

Claudio Dalla Benetta - H2FOZ tem 908 posts e contando. Ver todos os posts de Claudio Dalla Benetta - H2FOZ