Paraguai apresenta avanços nas obras de acesso à Ponte da Integração

Panorâmica das obras, com o acesso ao futuro porto seco em primeiro plano. Imagem: MOPC / Paraguay

Na quinta-feira (19), teve início a construção da via de ligação com o futuro porto seco em Presidente Franco.

Representantes da Direção Nacional das Aduanas (DNA), Administração Nacional de Navegação e Portos (ANNP) e outras instituições do Paraguai participaram, na quarta (18) e na quinta (19), de um encontro com autoridades brasileiras para a apresentação dos avanços nas obras de acesso à cabeceira paraguaia da Ponte da Integração.

A reunião ocorreu na sede administrativa da DNA no km 12, em Ciudad del Este, e teve como pauta, além do cronograma de obras, a discussão de detalhes sobre a futura travessia entre Foz do Iguaçu e a cidade paraguaia de Presidente Franco, como o redirecionamento do tráfego de caminhões para a nova ponte fronteiriça.

Uma das preocupações, tanto de brasileiros quanto de paraguaios, é em relação aos prazos para a conclusão dos acessos, uma vez que a Ponte da Integração Brasil–Paraguai, prevista para ser entregue no último trimestre de 2022, pode ficar pronta antes das demais partes do pacote de infraestrutura.

No caso do Paraguai, o acesso é o Corredor Metropolitano del Este (CME), que contempla mais de 31 quilômetros de rodovias para formar um anel viário no entorno dos municípios de Presidente Franco, Ciudad del Este, Minga Guazú e Hernandarias. No Brasil, a via de ligação é a Perimetral Leste, cujas obras, conforme o boletim de abril, estão em 10,1%.

Em Foz do Iguaçu, o edital de estudo técnico para a transferência da atual Estação Aduaneira do Interior para um terreno na entrada da cidade foi lançado na semana passada. A intenção é criar um terminal bimodal, que receba o fluxo de caminhões vindos do Paraguai e da Argentina e abrigue um futuro ramal da Ferroeste.

No Paraguai, que já concluiu parte das pontes e rodovias do CME, teve início na quinta-feira o processo de limpeza e adequação do terreno para a construção da avenida que dará acesso ao novo porto seco em Presidente Franco. O local está situado entre os bairros San Rafael e Santa Rosa, a cerca de quatro quilômetros da cabeceira da ponte.

A construção dos acessos à Ponte da Integração é de responsabilidade de cada país. No Brasil, o financiamento da Perimetral Leste é feito com recursos da diretoria brasileira de Itaipu. No Paraguai, o CME está sendo bancado por um empréstimo contraído pelo governo do país com fontes como bancos internacionais.

É proibida a reprodução total ou parcial deste conteúdo sem prévia autorização do H2FOZ.

Guilherme Wojciechowski - H2FOZ

Guilherme Wojciechowski é repórter colaborador do H2FOZ. E-mail: [email protected] - Veja mais mais conteúdo do autor.

-->