Polícia Turística soma 45 denúncias contra lojas de Ciudad del Este em 2022

Escritório da Polícia Turística na cabeceira paraguaia da Ponte da Amizade. Imagem: Imago Interativa (Street View)

Em pelo menos dois terços dos casos, houve devolução de dinheiro ou substituição de mercadorias com problemas.

Localizada na cabeceira paraguaia da Ponte da Amizade, a unidade local da Polícia Turística do Paraguai já recebeu, desde o início do ano, 45 denúncias formais feitas por compristas (em sua maioria, brasileiros) contra lojas de Ciudad del Este. Em pelo menos 30 casos, houve devolução de dinheiro ou substituição de mercadorias com problemas.

De acordo com o jornal La Nación, o volume de queixas tem crescido nas últimas semanas, à medida que aumenta, também, o fluxo comercial e de turistas na região fronteiriça. O comparativo em relação aos anos anteriores não é possível devido à pandemia, mas a percepção dos agentes é de incremento nas ocorrências.

O jornal paraguaio faz um repasse dos principais tipos de fraudes, sendo a mais comum a entrega de produtos com menos qualidade. “Os clientes compram um iPhone como um modelo de lançamento, mas recebem um modelo inferior. É o que mais se repete”, explica o delegado principal Bernardo Ojeda, chefe da unidade policial.

Outro relato frequente é a cobrança de valor superior ao combinado, fraude que é feita, geralmente, na conversão dos valores para a moeda paraguaia, o guarani, nas compras com cartões. O delegado cita ainda golpes como a venda de perfumes falsificados ou o “desvio” de mercadorias combinadas para entrega (irregular) no Brasil.

Um dos casos mais recentes ocorreu no dia 27 de maio, quando um turista de Minas Gerais gastou R$ 8,1 mil na compra de celulares em um estabelecimento no Shopping Vendôme, porém não recebeu os produtos. Acompanhado por agentes da Polícia Turística, o brasileiro conseguiu a devolução da totalidade do dinheiro.

Fechamento

Já o jornal La Clave, em reportagem datada desta quarta-feira (1º), informa que duas lojas pertencentes a um casal de nacionalidade paraguaia foram fechadas na terça-feira (31) por ordem da Diretoria de Defesa do Consumidor, da Prefeitura de Ciudad del Este, após denúncias de fraudes contra consumidores brasileiros.

Os locais, que usavam o nome fantasia de “Charmess” e de “Perfumería & Cia”, foram lacrados pelos funcionários municipais. A ordem de fechamento é temporária, contudo pode tornar-se definitiva caso os proprietários não consigam reverter a situação.

É proibida a reprodução total ou parcial deste conteúdo sem prévia autorização do H2FOZ.

Guilherme Wojciechowski - H2FOZ

Guilherme Wojciechowski é repórter colaborador do H2FOZ. E-mail: [email protected] - Veja mais mais conteúdo do autor.

-->