Taxistas do Paraguai protestam contra filas na Ponte da Amizade

Trabalhadores questionam, entre outros pontos, a circulação de caminhões fora dos horários predeterminados por acordo.

Apoie! Siga-nos no Google News

Dirigentes das principais associações de taxistas, mototaxistas e motoristas do transporte alternativo de Ciudad del Este participaram, na manhã desta sexta-feira (8), de um protesto nas imediações da cabeceira paraguaia da Ponte Internacional da Amizade.

Leia também:
Prefeitura manda fechar galeria no centro de Ciudad del Este

Os manifestantes, que não chegaram a bloquear o trânsito, foram recebidos pelo administrador da aduana de Ciudad del Este, Gustavo Soto; pelo titular da Administração de Navegação e Portos, Jorge Melgarejo; e pelo comandante da Marinha do Paraguai em Ciudad del Este, capitão Pablo Barros.

Em pauta, o pedido para a adoção de mecanismos que agilizem a travessia entre Ciudad del Este e Foz do Iguaçu, como a eliminação das filas de caminhões no alto da ponte fronteiriça fora dos horários estabelecidos para a passagem de veículos de carga.

Segundo os taxistas, o acordo bilateral para que os caminhões sejam liberados apenas após as 17h segue em vigor, mas não tem sido observado pelas autoridades aduaneiras e pelos órgãos responsáveis pelo ordenamento do trânsito.

“Precisamos trabalhar, não podemos perder mais de três horas para cruzar a ponte. Essa é uma situação que prejudica todo mundo”, afirmou Enrique Rolón, dirigente da Federação de Trabalhadores Taxistas de Ciudad del Este, em declarações repercutidas por veículos como os jornais La Nación e ABC Color.

Administrador da aduana paraguaia, Gustavo Soto disse que as obras em andamento no local serão finalizadas na próxima semana, o que permitirá um melhor ordenamento do tráfego. Já o comandante Pablo Barros destacou que o cumprimento dos horários de travessia de caminhões depende também da colaboração das autoridades brasileiras.

LEIA TAMBÉM

Comentários estão fechados.