Muda o mês, muda a cor. Na Itaipu, fica tudo rosa em outubro

Um teste de luzes, na noite de ontem, 29, mostrou como vai ficar a fachada do Centro Executivo de Itaipu com os tons rosa da campanha de contra o câncer de mama. Os atrativos da usina também vão ficar dessa cor.

A nova cor marca a adesão de Itaipu ao movimento mundial Outubro Rosa, que visa alertar as mulheres e a sociedade em geral sobre a importância da prevenção e diagnóstico precoce do câncer de mama.

Esta noite, no último dia do mês, a cor ainda é o amarelo, símbolo da campanha de prevenção ao suicídio.

É o sétimo ano consecutivo que Itaipu adere ao Outubro Rosa, mas é a primeira vez que o Centro Executivo, que fica na Vila A, ganha a cor da camanha.

Entrada do Centro Executivo. Foto Produsom AudivisualLegenda

Atrativos

Além do Centro Executivo, a Concha Acústica também receberá iluminação especial. Na usina, ficarão cor de rosa as calotas do Parque da Piracema, a fachada do Centro de Recepção de Visitantes (CRV) e o Portal do Conhecimento, monumento em referência à Universidade Federal da Integração Latino-Americana (Unila), instalado próximo à barreira de controle da usina.

Tanto o Setembro Amarelo quanto o Outubro Rosa são importantes pelo caráter educativo, diz o diretor-geral brasileiro de Itaipu, general Joaquim Silva e Luna.

“Com mais informação, você reflete melhor sobre os riscos, entende a importância da prevenção e pode tomar decisões com maior consciência”, afirma. E complementa: “A saúde e o bem-estar da nossa gente é uma preocupação permanente da Itaipu, uma empresa responsável, que atua em várias frentes, além da sua atividade-fim”.

Concha Acústica, no Gramadão. Foto Produsom Audivisual
Portal do Conhecimento, da Unila. Foto Rubens Fraulini
Calotas do Parque da Piracema. Foto Rubens Fraulini

A adesão à campanha deixa ainda mais bonitos os atrativos de Itaipu. “A iluminação embeleza e dá uma cara de respeito e acolhimento a esses espaços conhecidos da usina. Quem passar por ali, com certeza, vai gostar do resultado”, avalia Silva e Luna.

De acordo com o Instituto Nacional de Câncer (Inca), órgão vinculado ao Ministério da Saúde, o câncer de mama é segundo tumor maligno mais comum entre as mulheres – atrás apenas do câncer de pele não melanoma, chegando a quase 30% dos casos no Brasil.

Em 2019, a estimativa era o surgimento de 59 mil novos casos no País. A doença também atinge os homens, mas com menor frequência (cerca de 1% dos casos).

Quando o câncer é diagnosticado precocemente, as chances de cura passam de 90%. Entre as formas de prevenção estão a consulta regular ao médico, a realização de exames (como a mamografia), a prática de atividades físicas e a adoção de uma alimentação saudável. A amamentação também é considerada um fator de proteção para as mulheres.

error: O conteúdo é de exclusividade do H2Foz.