Até 10 de setembro, as abordagens serão orientativias - Foto: Divulgação/PRF

PRF e Foztrans fiscalizam transporte por aplicativo no aeroporto

Passageiros reclamam da oferta de corridas “por fora”, sem acionamento do app.

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) e o Instituto de Transportes e Trânsito (Foztrans) iniciaram, nesta quarta-feira, 1º, operação de fiscalização no Aeroporto Internacional de Foz do Iguaçu/Cataratas, com foco no serviço de transporte por aplicativo. A ação seguirá até o próximo dia 10.

Leia também:

‘Corrida por fora’: passageiro denuncia prática de motoristas de app no aeroporto em Foz

De acordo com a PRF, foi firmada parceria com a autarquia municipal de trânsito para a atividade. Isso porque a segurança viária na região de acesso ao terminal é atribuição da corporação federal. Já conforme a legislação iguaçuense, a fiscalização da regularidade do transporte por aplicativo cabe ao Foztrans.

A assessoria da prefeitura informou ao H2FOZ que o instituto presta apoio à PRF. Nestes dez dias, as abordagens serão de caráter orientativo. “A fiscalização da Foztrans terá apenas um caráter pedagógico, sem a aplicação de eventuais autuações por infrações administrativas”, comunicou a Polícia Rodoviária Federal.

“E as equipes da Foztrans passam a atuar, de modo conjunto com a PRF, considerando a atribuição municipal na inspeção dos motoristas de transporte de aplicativo, os quais devem ter o regular cadastramento na prefeitura”, pontuou a PRF.

Corrida “por fora”

Na semana passada, o H2FOZ expôs denúncia de um morador de Foz do Iguaçu sobre a prática irregular de motoristas de transporte por aplicativo que oferecem corridas no aeroporto “por fora”, sem o acionamento das plataformas. Ele afirmou que teve várias chamadas de app canceladas.

Por ser usuário frequente do aeroporto, o passageiro fez a denúncia sob a condição de anonimato. Ele contou que, ao chegar ao aeroporto, passou a fazer chamadas para motoristas por aplicativo, todas canceladas. Segundo informou, os motoristas interrompiam a solicitação ao verificarem o trajeto e o preço a ser pago, estimado em R$ 18 do terminal aeroviário ao centro.

Sobre a ocorrência, a reportagem questionou o Foztrans, que declarou não ter responsabilidade acerca da fiscalização feita no aeroporto. A Infraero afirmou ser do instituto de trânsito o papel de fiscalizar o serviço de transporte por aplicativo. A associação que representa os profissionais destacou que não é possível generalizar a conduta e que orienta seus associados e os passageiros somente a realizar corridas chamadas pelos aplicativos.

Gostou do texto? Contribua para ampliar o jornalismo em Foz do Iguaçu. ASSINE JÁ

Já escutou o último episódio do GUARÊ, o podcast do H2FOZ? OUÇA AGORA

Paulo Bogler - H2FOZ

Paulo Bogler é jornalista e repórter do H2FOZ. e-mail: [email protected] Veja mais mais conteúdo do autor.

Paulo Bogler - H2FOZ tem 1288 posts e contando. Ver todos os posts de Paulo Bogler - H2FOZ