Lar Cooperativa participa de fórum internacional de logística

A viabilização de uma Rota Bioceânica, interligando o Brasil, Argentina, Paraguai e Chile, deve facilitar as negociações com o mercado externo. O projeto esteve em discussão durante o 1º Fórum “A Integração dos Municípios do Corredor Bioceânico”, realizado no dia 26 de maio, na Assembleia Legislativa do Mato Grosso do Sul. Diversos parlamentares dos quatro países compareceram ao evento. A Lar Cooperativa foi uma das empresas convidadas para opinar sobre o assunto, que é um antigo sonho para a indústria brasileira desde a década de 1970.

“A Lar foi a única cooperativa convidada para participar do evento. O assunto debatido é de extrema importância pois estamos falando de uma rota rodoviária que será construída, ligando o Oceano Atlântico ao Oceano Pacífico, chegando aos portos do Chile e com isso ganhamos em eficiência logística, pensando no acesso ao mercado asiático e oeste americano que são grandes importadores de produtos do nosso interesse”, comentou Vandeir Conrad, superintendente de Negócios Agrícolas da Lar, que representou a Cooperativa no fórum de logística.

O projeto prevê a revitalização de rodovias, a construção de novos trechos e da ponte que ligará os municípios de Porto Murtinho (MS) e Carmelo Peralta (PY), além de outras obras e acordos comerciais envolvendo os quatro países. Com a viabilização do plano, as indústrias ganham com a redução de custos no transporte e os municípios são beneficiados diretamente através da economia gerada pela rota.

“A nossa participação demonstra a relevância que a Cooperativa tem. Foi o primeiro fórum sobre o tema, contribuímos com a nossa opinião e entendemos que o projeto é viável, mas ainda existem muitas discussões e investimentos a serem feitos”, encerrou Vandeir reforçando a viabilidade do projeto.

De acordo com o projeto, só no Mato Grosso do Sul, 23 municípios deverão ser beneficiados diretamente pela Rota Bioceânica e outros 15 indiretamente. A Lar atua no estado desde 2002 e conta atualmente com 32 unidades de recebimento de grãos, 17 unidades de atendimento ao associado e uma Unidade Industrial de Soja, localizada em Caarapó.

É proibida a reprodução total ou parcial deste conteúdo sem prévia autorização do H2FOZ.

NEGÓCIOS

Esta página faz parte da seção Negócios e não integra o conteúdo jornalístico do H2FOZ.

-->