Os caminhos do desenvolvimento

Por Faisal Ismail – OPINIÃO 

Temos motivos para comemorar o aniversário de Foz do Iguaçu em meio a uma pandemia e intermináveis restrições que afetam todos há 16 meses? Ouso dizer que sim. Temos boas razões para festejar os 107 anos de uma das principais cidades de fronteira do Brasil e um dos melhores cartões-postais do país.

Afinal, o aniversário de um município é de certa forma o aniversário da sua própria gente. É tempo de comemorar a força da cidade e a união do seu povo. Somos mais de 260 mil pessoas que aqui moram, trabalham, estudam e constroem uma cidade melhor a cada dia.

Singular pelas belezas da natureza e pelo trabalho do homem, Foz do Iguaçu sempre enfrentou os desafios impostos pelo mundo. Vivemos altos e baixos nestes mais de cem anos de história, sempre construindo o próprio caminho para o desenvolvimento e seguindo o fluxo, tal como o leito dos rios Iguaçu e Paraná.

A cidade não para. Reinventa-se a cada ciclo. Prova disso é a transformação iniciada após o fim dos frenéticos tempos dos sacoleiros. Abatida, Foz percebeu a importância de investir na infraestrutura urbana, na qualificação do turismo, na expansão da rede hoteleira e gastronômica, na melhoria da prestação de serviços e no aprimoramento da saúde, transporte, educação, moradia e segurança.

Temos em nossa localização geográfica um diferencial. A fronteira sempre foi, é e será um espaço de oportunidades. Ainda há muito a se fazer. Mesmo com o amadurecimento da nossa economia, é preciso torná-la mais sólida e diversificada; logo, menos vulnerável às crises econômicas nacionais e internacionais. Hoje o iguaçuense enfrenta as dificuldades sabendo de sua força e capacidade para defender os seus interesses.

O poder público e a iniciativa privada têm injetado milhões de reais na economia iguaçuense em forma de obras, infraestrutura e empreendimentos. Tudo com o objetivo de gerar emprego e renda para manter a economia aquecida, faça chuva ou faça sol.

O contraste maior em relação à maioria dos municípios brasileiros, no entanto, pode ser mais bem evidenciado diante dos investimentos e projetos que estão saindo do papel. O poder público e a iniciativa privada têm injetado milhões de reais na economia iguaçuense em forma de obras, infraestrutura e empreendimentos. Tudo com o objetivo de gerar emprego e renda para manter a economia aquecida, faça chuva ou faça sol.

Tendo a Itaipu Binacional à frente dos investimentos públicos, Foz do Iguaçu comemora o pacote repleto de presentes, que inclui a Ponte da Integração Brasil-Paraguai, a Perimetral Leste, a reforma do aeroporto internacional, a duplicação de 8,5 quilômetros da Rodovia das Cataratas, a construção do Mercado Municipal, de ciclovias e de pistas de caminhada, melhorias de paisagismo e revitalização do Gramadão da Vila A, entre outros.

Hoje é um dia para revisitar o passado, olhar para o lado e valorizar a grandeza da nossa gente e da nossa terra. É o momento de agradecer a todos que acreditam no associativismo como ferramenta para o desenvolvimento. Juntos, vamos superar os atuais desafios e construir os novos capítulos da nossa cidade.

Parabéns a todos que acreditam e investem em Foz com a mesma garra e empreendedorismo dos pioneiros do começo do século 20. A todos, o nosso muito obrigado!

* Faisal Ismail é presidente da ACIFI (Associação Comercial e Empresarial de Foz do Iguaçu)

________________________________

Este texto é de responsabilidade do autor/da autora e não reflete necessariamente a opinião do H2FOZ.

Quer divulgar a sua opinião. Envie o seu artigo para o e-mail [email protected]

Gostou do texto? Contribua para ampliar o jornalismo em Foz do Iguaçu. ASSINE JÁ

OPINIÃO

Este texto é de responsabilidade do autor/da autora e não reflete necessariamente a opinião do H2FOZ. Quer divulgar a sua opinião. Envie o seu artigo para o e-mail [email protected]

OPINIÃO tem 21 posts e contando. Ver todos os posts de OPINIÃO

error: O conteúdo protegido !!! Este conteúdo e de exclusividade do H2FOZ.