Governo paraguaio volta atrás e afrouxa restrições a restaurantes, eventos e escolas

Depois de muitas pressões de sindicatos de restaurantes e bares, de donos de escolas e de pais de estudantes, o governo de Mario Abdo Benítez alterou o decreto que previa novas medidas de restrição a partir desta quinta-feira, 18, para 24 cidades, entre elas Ciudad del Este.

As medidas, que valeriam até 4 de abril, incluíam a proibição de circular entre 20h e 5h, que só seria permitida para quem exerce atividades essenciais. Agora, a restrição voltou a ser da meia-noite às 5h, para atender pedido de bares e restaurantes, que poderão também funcionar até este horário. Isto é, a circulação é proibida depois das 20h, mas aceita se as pessoas estiverem em restaurantes, bares e eventos.

Eventos sociais e atividades de locais noturnos, que seriam proibidas a partir das 20h, agora podem seguir até meia-noite. Portanto, a circulação para esses locais também está livre até aquele horário. Na prática, deduz-se que qualquer pessoa poderá circular, bastando informar que está voltando de um restaurante ou evento, por exemplo.

A venda de bebidas alcoólicas fica proibida das 20h às 5h, mas está liberada nos espaços gastronômicos.

Também seriam proibidas aulas presenciais e esportes de contato. Agora, os pais de alunos que querem seus filhos em aulas presenciais podem levá-los às escolas, tanto públicas como privadas, porque as aulas voltam a ser permitidas.

DIÁLOGOS

Segundo o jornal ABC Color, o chefe de Gabinete Civil da Presidência da República, Hernán Huttemann, informou que as alterações no decreto surgiram “depois de um longo e intenso processo de diálogo com os setores que seriam afetados pelas novas medidas de isolamento preventivo”.

Quanto às aulas híbridas – presenciais e on line -, Luis Cáceres Brun, representante das Instituições Educativas Privadas, disse que o governo entendeu que o risco de contágio é muito baixo, graças ao protocolo rigoroso aplicado em escolas e colégios, conforme o jornal La Nación.

De acordo com Brun, o que o governo deve fazer é impedir as atividades clandestinas. “O contágio é produzido por adultos, e não pelas crianças. O cuidado deve estar dirigido aos adultos e às atividades informais”, reiterou.

O jornal Última Hora ressalva que o ministro de Saúde Pública, Julio Borba, afirmou que a situação epidemiológica continua complicada. Na quarta-feira, 17, houve o maior número de casos confirmados (2.540) e 34 mortes.

O Paraguai soma o total de 185.888 casos confirmados de coronavírus e 3.588 óbitos.

Gostou do texto? Contribua para ampliar o jornalismo em Foz do Iguaçu. ASSINE JÁ

Claudio Dalla Benetta - H2FOZ

Cláudio Dalla Benetta é repórter do H2FOZ. e-mail: [email protected] Veja mais mais conteúdo do autor.

error: O conteúdo é de exclusividade do H2Foz.