Loja de Ciudad del Este aplica golpe, depois muda de nome e endereço

Quando promotor e cônsul chegaram ao endereço no shopping, a loja não funcionava mais ali. Tinha até outro nome. Foto: La Clave

A vítima da vez foi um argentino, gerente de hotel em Puerto Iguazú.

Esta história é mais uma daquelas que surpreendem qualquer pessoa: como pode uma loja mudar de nome e de endereço tão rapidamente, em Ciudad del Este? Pior: logo depois de uma tentativa de golpe num comprador.

WHATSAPP – Assine a nossa linha de transmissão.

TELEGRAM – Entre em nosso grupo.

O jornal La Clave noticia que o gerente de um hotel cinco estrelas de Puerto Iguazú pagou R$ 15 mil em produtos eletrônicos, numa loja de Ciudad del Este, mas os vendedores não os enviaram a Puerto Iguazú, como tinha sido combinado.

Ele fez a compra na loja Centro Cell, que estava localizada no Shopping Bonita Kim, mas logo depois tinha mudado de nome e de endereço.

O argentino pediu apoio do cônsul do Paraguai em Puerto Iguazú, Magno Álvarez, que o acompanhou, junto com o promotor Édgar Torales, até o endereço da loja no shopping. Mas ali foram informados de que o comércio havia mudado para a Avenida Camilo Recalde, já com outro nome: Mundo Tecnológico.

Depois de muita conversa na “nova” loja, houve um acordo com o proprietário, que entregou ao argentino as mercadorias pelas quais ele havia pago R$ 15 mil.

O jornal La Clave critica a falta de investigações para apurar esses casos, em que os comerciantes vigaristas aplicam golpes e, para escapar de punições, mudam o endereço e até o nome do estabelecimento. E ficam impunes, normalmente.

Gostou do texto? Contribua para ampliar o jornalismo em Foz do Iguaçu. ASSINE JÁ

Já escutou o último episódio do GUARÊ, o podcast do H2FOZ? OUÇA AGORA

É proibida a reprodução total ou parcial deste conteúdo sem prévia autorização do H2FOZ.

Claudio Dalla Benetta - H2FOZ

Cláudio Dalla Benetta é jornalista e repórter do H2FOZ. e-mail: [email protected] Veja mais mais conteúdo do autor.