Crescimento econômico, Rede Humanitária, Estação Prisma e Apoio do Brics

Coluna da Associação dos Jornais Diários do Interior, 16 de maio de 2024

Apoie! Siga-nos no Google News

Crescimento econômico
Governador Ratinho Júnior relembrou o crescimento econômico do Paraná em evento que reuniu lideranças políticas e empresários brasileiros e norte-americanos em Nova York, nos Estados Unidos. “Recentemente o Banco Central divulgou um estudo que mostra que o Paraná foi o estado que mais cresceu no ano passado, com 7,8% de expansão da atividade econômica. E fazemos isso com proteção ambiental”.

Melhor gestão
A Cocamar Cooperativa foi reconhecida com o prêmio Empresas com Melhor Gestão, concedido pela empresa Deloitte. O prêmio faz parte de um programa consolidado globalmente, presente em cerca de 46 países, que avalia as empresas considerando diferentes diferentes áreas de gestão empresarial.

Rede Humanitária
Em rápida votação, a Assembleia Legislativa aprovou e o governador em exercício Darci Piana (PDS) sancionou a lei que cria a Rede Estadual de Ajuda Humanitária, a primeira do País com abrangência nacional, o que permite auxílio mais célere do Estado em situações extremas, como as chuvas do Rio Grande do Sul.

Rede Humanitária II
A rede terá uma comissão permanente com membros da Superintendência Geral de Ação Solidária, Coordenadoria Estadual da Defesa Civil, Secretaria de Desenvolvimento Social e Família e Secretaria da Justiça e Cidadania. Os recursos serão de responsabilidade do órgão que propor alguma medida emergencial, com ampla transparência para a sua utilização.

Estação Prisma
Climatizada, autossustentável e pronta para a eletromobilidade, a Estação Prisma Solar Agrárias foi entregue pelo prefeito Rafael Greca (PSD). “Os ônibus elétricos já estão na cidade e demos o primeiro passo e temos o olhar no horizonte para consolidar a evolução no sistema de operação de transporte”, diz Greca. A estação faz parte do Projeto Novo Inter 2 e é a primeira entrega do programa de U$ 106 milhões (R$ 530 milhões) do contrato de financiamento do BID.

Pesquisas
O desastre do Rio Grande do Sul vai reunir pesquisadores da UEL, UEM, Unicentro, Unespar, Unioeste, UEPG, UFPR, UTFPR e PUC-PR em um núcleo formado pela Fundação Araucária. Com atuação em cinco eixos temáticos, que vão do diagnóstico das mudanças globais e dos impactos das mudanças climáticas na biodiversidade à adaptabilidade e resiliência humana frente às intempéries climáticas, com foco no Paraná, o núcleo tem 50 pesquisadores e bolsistas de graduação, mestrado, doutorado e pós-doutorado.

Se acostume
O governador Ratinho Júnior (PSD) disse ao vice-governador Darci Piana (PSD) para se acostumar com as interinidades nos próximos dois anos e meio. Ratinho Junior visitará vários países, abrindo mercados internacionais aos produtos paranaenses e atraindo novos investimentos estrangeiros principalmente na área de infraestrutura do estado.

Reconstrução
O ministro da Secretaria de Comunicação Social, Paulo Pimenta, assumirá o cargo de ministro extraordinário que atuará na articulação para a reconstrução do Rio Grande do Sul. Pimenta vai atuar de forma permanente no estado gaúcho enquanto durar a calamidade pública no estado, coordenando uma estrutura administrativa das ações federais na região.

Saneamento
A Sanepar investe R$ 17 milhões na ampliação do serviço de coleta e tratamento de esgoto em Medianeira, atendendo mais 1.886 famílias que moram nos bairros Condá, Belo Horizonte e Itaipu. As obras de execução de 35,5 quilômetros de rede coletora começam em julho.

Presidenta
A engenheira Magda Chambriard foi escolhida pelo presidente Lula para comandar a Petrobras no lugar de Jean Paul Prates. Chambriard trabalhou na Petrobras por 22 anos. Entre 2012 e 2016, ocupou o cargo de diretora-geral da Agência Nacional do Petróleo. Ela também fez parte do grupo de transição na área de energia do governo Lula e foi considerada para presidir a PPSA, empresa que administra o pré-sal, mas recusou a oferta.

Apoio do Brics
A presidente dos Brics, Dilma Rousseff, anunciou R$ 5,75 bilhões (R$ 28,7 bilhões) em empréstimos para o Rio Grande do Sul. O valor será direcionado para obras de infraestrutura urbana, saneamento básico, proteção ambiental e prevenção de desastres no estado.“Quero reiterar minha solidariedade aos gaúchos e aos governos federal e estadual. O Banco dos Brics tem compromisso e atuará na reconstrução e na recuperação da infraestrutura do Estado. Queremos ajudar as pessoas a reconstruir suas vidas”, disse.

Então
“Haddad e Lula afirmaram que por 3 anos a dívida do RS com a União está suspensa e não se cobrará juros. Você meu amigo gaúcho e gaúcha, ligue para o seu banco e peça a mesma coisa, com os mesmos argumentos que o (governador Eduardo) Leite usou. Se não ganhar, você entendeu a diferença entre Estado e mercado” – do historiador Fernando Horta no twitter.

Coluna publicada simultaneamente em 20 jornais e portais associados. Saiba mais em www.adipr.com.br.

LEIA TAMBÉM
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.