Iguaçuense recebe prêmio Funarte com documentário sobre Maria Cheung

O filme dirigido pelo fotógrafo e cineasta Alex P. Schorsch, um norte-americano de Chicago que há mais de 40 anos reside em Foz do Iguaçu, destaca a trajetória de Maria Cheung, conceituada artista nascida em Hong Kong, China, e radicada na fronteira trinacional desde 1987. Alex e a artista visual de Mar del Plata, Argentina, Silvia Liliana Spertino, que também vive na cidade, há quase três décadas, assinam o roteiro que marca a parceria iniciada recentemente, e a estreia de Spertino como produtora.

O documentário mostra, em 17 minutos, a trajetória de Maria Cheung a partir da infância, em Hong Kong, passando pela viagem de navio da China ao Brasil, a chegada da família em São Paulo, sua iniciação nas artes plásticas, até os dias atuais.

Por que Maria Cheung

Para Alex, que também assina a direção de fotografia, seria, além de uma homenagem, um reconhecimento. “Maria Cheung é mundialmente conhecida. Seu trabalho, desenvolvido em Foz do Iguaçu, já rompeu, há algum tempo, as fronteiras do Brasil. Ela tem obras em acervos de importantes museus e galerias, tanto aqui, como no exterior”.
Prosseguindo o diretor salienta o fato de Maria trabalhar e lecionar em seu atelier, em Foz do Iguaçu. “Muita gente desconhece o fato de a cidade abrigar uma artista dessa envergadura, de projeção mundial. Maria Cheung vem acumulando mundo afora prêmios, participações em Salões de Arte e menções honrosas por suas produções que ganham vida por meio de suas obras em cerâmica, em suportes diversos e instalações”, enfatiza.

Prêmio

A decisão de fazer o documentário surgiu de uma conversa entre o casal. Silvia e Alex, grande admiradores da artista, acabaram apostando na ideia de escrever um roteiro a quatro mãos, e filmar.
Finalizado o trabalho, Alex Schorsch decidiu inscrevê-lo no Prêmio RespirArte, da Fundação Nacional de Artes (Funarte). O filme foi premiado na categoria artes visuais e, recentemente, liberado para divulgação.

RespirArte

O Prêmio Funarte RespirArte, de abrangência nacional, é uma seleção de produções artísticas em vídeo. Em 2020 recebeu um total bruto de 8.698 formulários de inscrição, 1.591 destas, para artes visuais. Com o prêmio a Funarte contemplou vídeos inéditos, realizados em plataformas digitais, abertas ao público.

O documentário intitulado “Maria Cheung” encontra-se em exposição permanente no canal de Youtube. https://www.youtube.com/watch?v=-sm1jKaqyWg&t=253s

E vem mais por ai

Mal comemoraram o prêmio, o cineasta lançou-se em uma nova empreitada. Alex trabalha atualmente no roteiro de um novo documentário que contará a história de inúmeras produções hollywoodianas realizadas em Foz do Iguaçu e, das quais participou.

 

Gostou do texto? Contribua para ampliar o jornalismo em Foz do Iguaçu. ASSINE JÁ

error: O conteúdo é de exclusividade do H2Foz.