Grupo de trabalho vai estudar reparação a indígenas do Oeste do Paraná

Anúncio foi feito nessa sexta-feira (28), em Brasília; Ministério dos Povos Indígenas e Itaipu Binacional farão parte da iniciativa.

Apoie! Siga-nos no Google News

A adoção de possíveis reparações aos povos avás-guaranis do Oeste do Paraná será estudada em um grupo de trabalho integrado por lideranças das comunidades e de instituições como o Ministério dos Povos Indígenas e Itaipu Binacional. O anúncio foi feito nessa sexta-feira (28), em Brasília, durante ato com a presença do presidente Lula.

Leia também:
Instituto indígena da fronteira recebe reconhecimento internacional

De acordo com a ministra Sonia Guajajara, uma equipe técnica do ministério estará na região, na próxima quarta-feira (3), para aprofundar as discussões com a binacional. A comitiva será encabeçada pela secretária de Direitos Ambientais e Territoriais, Eunice Kerexu, que também visitará a comunidade indígena Itamarã, em Diamante D’Oeste.

No dia 8 de maio, por sua vez, a própria ministra Sonia Guajajara deverá reunir-se, em Foz do Iguaçu, com o diretor-geral brasileiro de Itaipu, Enio Verri, e com o diretor de Coordenação, Carlos Carboni. Atualmente, existem duas áreas indígenas no Oeste do Paraná, nos municípios de São Miguel do Iguaçu e Diamante D’Oeste.

Nessa sexta-feira, Guajajara e o presidente Lula participaram do encerramento do 19.º Acampamento Terra Livre, em Brasília. Durante o evento, foram assinados os decretos de demarcação de seis terras indígenas, localizadas no Acre, Alagoas, Amazonas, Ceará, Goiás e Rio Grande do Sul.

Segundo o presidente, é compromisso do governo restaurar as políticas públicas para a população indígena e retomar os processos de demarcação. “Não só porque é um direito de vocês [povos indígenas], mas, se a gente quer chegar a 2030 com desmatamento zero, vamos precisar de vocês como guardiões da floresta”, afirmou.

LEIA TAMBÉM

Comentários estão fechados.