Hotéis se adaptam para festas de fim de ano e sofrem impacto de cancelamentos

Em tempos de pandemia, as tradicionais festas de fim de ano nos hotéis de Foz do Iguaçu terão o brilho reduzido. Restrições impostas por decretos e pedidos de cancelamento estão obrigando os estabelecimentos a se planejarem para receber menos hóspedes e organizar o caixa a fim de bancar a folha de pagamento.

As ceias com música, dança e fogos de artifício serão substituídas por jantares de Natal e ano-novo, respeitando distanciamento no espaço dos salões e protocolos sanitários conforme o Decreto Estadual 6.555, de 17 de dezembro. O mesmo decreto, que não permite o consumo e a comercialização de bebidas alcoólicas das 23h às 5h, fez com que os hotéis de adaptassem. Outro decreto, municipal, estabelece por mais dez dias a suspensão de bailes, festas e reuniões domiciliares com atividades de dança e contato físico a partir de hoje, dia 23.

Em entrevista ao Marco Zero, programa conjunto do H2FOZ e da Rádio Clube, o presidente do Sindhotéis (Sindicato de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares), Neuso Rafagnin, disse que a rede hoteleira, que já tinha uma preocupação com a higienização, triplicou os cuidados diante da pandemia e, no caso de Foz do Iguaçu, recebeu certificação do município.

Os decretos governamentais ampliaram as limitações ao setor, que planejava uma festa com a casa um pouco mais cheia. Com isso, os empresários acumulam prejuízos. “99% dos empresários hoje já recorreram a bancos. O prejuízo é grande”, informou Rafagnin. Os pacotes de réveillon de cinco dias equivalem a 30 dias de faturamento no mês normal, explicou o presidente do Sindhotéis.

A expectativa de ocupação dos estabelecimentos para o Natal era de 45%, conforme o sindicato. No entanto, em pelo menos dez hotéis que programaram ceias, os cancelamentos chegam a 20%. Para o réveillon, em um total de nove hotéis, o percentual de desistência é o mesmo. Os hóspedes de estabelecimentos que não oferecerão jantares poderão encaminhar-se para os que terão o serviço.

No ano passado, a ocupação hoteleira na passagem de ano foi de 86,3%, o maior índice dos últimos cinco anos. No Natal, o índice chegou a 66%. Foz do Iguaçu tem 180 meios de hospedagem e um total de 30 mil leitos em hotéis, pousadas, albergues e hostels.

Gostou do texto? Contribua para ampliar o jornalismo em Foz do Iguaçu. ASSINE JÁ

Denise Paro - H2FOZ

Denise Paro é repórter do H2FOZ.e-mail: [email protected]Veja mais mais conteúdo da autora.

error: O conteúdo é de exclusividade do H2Foz.