Moradores de Foz do Iguaçu enfrentam “apagões” e temem queima de equipamentos

Queixas partem de todas as regiões da cidade. Confira os relatos e a explicação da Copel.

Apoie! Siga-nos no Google News

Além de lidar com as altas temperaturas durante o dia, os moradores de Foz do Iguaçu têm enfrentado diariamente “apagões” de energia, principalmente durante a noite. Em grupos de reclamações, os relatos indicam que a situação não se limita a apenas um bairro, estendendo-se por praticamente toda a cidade.

Nos comentários, uma moradora da Vila Carimã relata que está sem energia elétrica desde domingo (14); um residente do Porto Meira afirma que é comum passar horas sem luz; do Porto Belo, outra testemunha menciona que a energia chegou a cair seis vezes em apenas dez minutos. As reclamações se espalham pela região central, Jardim Petrópolis, Vila C, Jardim Alice, Jardim Bourbon, Jardim São Rafael, Vila Adriana, entre outros.

Quando a luz volta, a preocupação é com os equipamentos eletrônicos, suscetíveis a danos por descargas elétricas. Um morador informa já ser a segunda vez que o motor do portão queima. Simone Maciel, residente na região da KLP, menciona que seu televisor, com apenas três anos de uso, ficou danificado após um dos picos de energia. Ela revela nunca ter recebido o respaldo adequado da Copel.

“Após uma dessas quedas, a TV ficou escura e só saía o áudio. Imediatamente, registramos uma reclamação na Copel com o registro do dia e horário. Levei o aparelho para consertar e desembolsei R$ 90 para obter um laudo que constatou a queda de energia como causa do problema. Mesmo assim, a Copel alegou que não constava o registro de queda naquele horário conforme o protocolo”, conta.

O jeito agora é precaver-se de novos problemas. “Ontem, quando começou a haver quedas de energia, desliguei os aparelhos e não os liguei mais. Com uma criança de 5 anos de férias em casa, não podemos arriscar assistir TV, pois os equipamentos podem queimar.”

Em meio às dificuldades, há quem encare a situação com bom humor. “O jeito é comprar um motor de Scania e fazer de gerador”, ironiza um internauta. O morador da Vila C Rafael Rodrigues também brinca: “Quarta-feira, 17 de janeiro de 2024, deixe abaixo seu palpite de quantas vezes a energia vai acabar hoje…” Ele sentiu na pele o problema das oscilações de energia. “Agora, a minha TV está com listras no meio da tela, e a gente não sabe a quem recorrer para arcar com os prejuízos.”

As explicações da Copel

Questionada pelo H2FOZ sobre a situação, a Copel, por meio de sua assessoria de imprensa, informou ao portal os motivos que teriam ocasionado as quedas de energia dessa terça-feira (16). Veja na íntegra:

“Foz do Iguaçu, 17/01 – 11h45 – Um animal que entrou em uma subestação da Copel no bairro Vila Yolanda, em Foz do Iguaçu, casou curto-circuito em equipamentos no local, resultando em breves desligamentos de energia ontem (terça-feira, dia 16). O primeiro desligamento aconteceu em função do curto-circuito causado pelo animal às 22h34, durou dois minutos e atingiu cerca de 28,8 mil clientes, que, em seguida, passaram a ser atendidos por outro equipamento da subestação. A Copel precisou realizar novo desligamento breve, que também durou dois minutos, às 22h43, para realizar manobras na subestação para retirar o animal. Neste momento, cerca de 50 mil unidades consumidoras sofreram a falha momentânea (piscada). Às 23h09, uma nova piscada foi necessária para voltar à configuração normal da subestação.

Temporal – A região de Foz do Iguaçu registrou temporais localizados, acompanhados de ventos, durante a tarde desta terça-feira (dia 16), que causaram desligamentos localizados.”

Problema recorrente

Não foi a primeira vez que os moradores de Foz se queixaram de “apagões”. Diante da situação recorrente, Mateus Schindler, morador do Jardim Ipê, decidiu buscar esclarecimentos com a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) em dezembro. A agência notificou a Copel, que duas semanas depois enviou uma resposta técnica ao consumidor.

No ofício, a companhia informa não ter sido identificada violação do indicador FIC (Frequência de Interrupção Individual por Unidade Consumidora). Consequentemente, a reclamação sobre a falta frequente de energia foi considerada improcedente, de acordo com os critérios estabelecidos pela Aneel.

O comunicado prossegue: “Com o intuito de solucionar as interrupções/falhas momentâneas e corrigir possíveis defeitos que possam estar causando as faltas de energia elétrica na rede de distribuição, estão em andamento ações de inspeções/manutenções preventivas e intervenções na Subestação/Alimentadores da Unioeste devido a restrições de carga, previstas para ocorrer nos próximos 45 dias.”

LEIA TAMBÉM
7 Comentários
  1. Claudia Canzi Diz

    Moro entre o Jardim São Roque e Cognópolis na Maria Bubiak. Basta ventar para acabar a energia nas Chacaras Dom Emilio. Fora os picos de energia. Já perdi inclusive aparelho de ar condicionado.

  2. Edmundo Diz

    Pura conversa fiada…basta uma noite quente que a luz cai por um ou dois minutos e volta…isso 3, 4 vezes por noite. Nada a ver com manutenção, seja ela programada ou não. Esse foi um evento isolado. E o resto? Essa mentira apenas reforça a falta de respeito da copel com o usuário.

  3. Ale Diz

    Engraçado que, com tantas oscilações e quedas de energia relatadas em diversos pontos da cidade, a empresa vem com a desculpa de “que não foi constatada variação em um indicador” para considerar as reclamações improcedentes…e fica por isso mesmo? Fala sério…

  4. Stela Guimarães Diz

    No Jardim Paraná, KLP, passamos por isso na segunda-feira, com cinco desligamentos ao longo do dia. O primeiro pela manhã e os outro quatro à noite. Sugeri aos vizinhos que relatemos à a ouvidoria da Copel. Aliás, a Copel trocou os postes da Rua Jundiaí recentemente e os fios das demais empresas ficaram pendurados, emaranhados. A Copel informou ao meu marido que não é com a empresa, mas como vamos saber quais são as demais que usam o poste para reclamar? Para a Vivo já reclamamos, mas os fios continuam lá e um está até pendurado na saída da garagem da minha casa. Ninguém se responsabilizou, até agora.

  5. Florzinha Diz

    Isso tudo me parece programado no Brazil inteiro. Essa desculpa da Copel é a mesma de outros lugares e cia, aqui no Rio de Janeiro e em são Paulo está acontecendo a mesma coisa, desligamentos programados.
    Maricá onde estou atualmente vem acontecendo com frequência sempre nós mesmos horários e principalmente de madrugada, levando as pessoas a dormirem na rua, nas praias, devido ao calor muito forte. Na minha humilde opinião algo de muito grave está acontecendo ? e estão escondendo de nós. Pesquisem está acontecendo apagões em várias cidades e municípios, tudo programado.

  6. Camila Diz

    Na cidade onde moro também está desse mesmo jeito com picos de energia todos os dias tem essa queda de energia em uma dessas quedas o dejuntor do relógio caiu eu estava viajando e não sabia passou dias minha vizinha entrou em casa para ver como estava aí descobriu a geladeira desligada perdi tudo oq tinha no freezer fora o mal cheiro que ficou e sabe o que a copel alegou que a energia da minha casa estava desligada será pq estava ne copel com a suas palhaçada depôs que privatizou ficou pior e conta todo mês tem reajuste e só olha o valor do que eles cobras nos kwh que ve a diferença rouba agente na cara larga e agente cobra de quem estamos a mercê dessas empresas privatizadas e a desculpa dessas quedas e que eles estão instalando uma nova rede de transmissão sou de Itaguajé Paraná e não vi obra nenhuma da Copel bando de safados em um país sem lei que só favorece ao rico

  7. Rodrigo Diz

    Moro no Jd Social, confirmo as reclamações,
    Todas verdadeiras e podem ser confirmadas pelos 65 membros do nosso grupo do bairro que sofreram com os apagões. Copel dá a resposta que quer e lhe convém já que quem tem controle do marcador são eles. Cabe uma ação judicial conjunta e eleger terceiros para atestar os problemas. Aí teremos a atenção necessária da empresa.

Comentários estão fechados.