Levantamento serve de subsídio para ações a fim de aumentar a fatia das empresas iguaçuenses que vencem licitações - Foto: Marcos Labanca

Apenas 20% dos recursos de licitações municipais ficam em Foz, mostra Observatório Social

Dos R$ 181,9 milhões em compras públicas licitadas no ano passado, só R$ 37,2 milhões foram vencidos por empresas locais.

Do Observatório Social em Foz

Das 316 licitações realizadas pela prefeitura e mais seis órgãos do poder público municipal em Foz do Iguaçu, no ano passado, apenas 20% delas foram vencidas por empresas locais, com sede na cidade. Firmas localizadas dentro do Paraná venceram 60% dos certames, e as de outros estados brasileiros, 20%.

O levantamento foi feito com o sistema Inteligência de Dados Aplicados em Indicadores de Licitações 2020 (IDAIL 2020), resultado de parceria entre o Observatório Social do Brasil – Foz do Iguaçu (OSB – FI) e a NK Consultoria Financeira, que atuou de forma voluntária e sem custos. Foi usada a ferramenta de análise Power BI (Business Intelligence), com dados licitatórios preenchidos pela equipe técnica do OSB – FI.

O estudo e a plataforma foram apresentados em reunião do Programa Acelera Foz a representantes da sociedade civil, empresários, vereadores e gestores públicos. O objetivo da sistematização é contribuir para a elaboração e a execução de políticas públicas a fim de aumentar o número de empresas iguaçuenses participando e vencendo as licitações locais.

O diagnóstico apurou que os processos licitatórios municipais em 2020 totalizaram R$ 181,9 milhões. Desse montante de recursos, R$ 37,2 milhões (20,4%) ficaram em Foz do Iguaçu, R$ 108,5 milhões (59,6%) foram vencidos por empresas de cidades do estado, e R$ 36,2 milhões (19,9%) foram para Alagoas, Bahia, Ceará, Goiás, Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e São Paulo.

“Trata-se de um recurso para promover a economia dentro da nossa cidade, bem como avançar com o planejamento anual de compras, sistema que defendemos”, enfatizou o presidente do Observatório Social, Danilo Vendruscolo. “Queremos ser parceiros de instituições públicas e privadas para estimular as empresas iguaçuenses”, frisou.

Danilo Vendruscolo – “Definir ações para valorizar os empreendedores que geram emprego e renda em Foz do Iguaçu” – Foto Marcos Labanca

“A ferramenta utilizada no estudo dispõe de inúmeros recursos que podem ser ainda mais explorados e sistematizados”, explicou. “O que estamos propondo é uma união para pensarmos novos projetos, mudanças em legislações e medidas para valorizar os empreendedores que geram emprego e renda em Foz do Iguaçu”, ressaltou Danilo.

Visibilidade às licitações em Foz

Diretor da NK Consultoria Financeira, Hiago Mello contou que decidiu propor o desenvolvimento da plataforma de análise dos procedimentos licitatórios municipais após conhecer a atuação do Observatório Social do Brasil – Foz do Iguaçu. “É uma contribuição que surgiu da intenção em dar mais visibilidade às licitações iguaçuenses”, resumiu.

Conforme o consultor, a primeira preocupação foi entender quanto dos recursos disponibilizados pelos órgãos municipais ficava no município, a partir das licitações. “São dados para a cidade e a gestão pública pensar, já que apenas 20% das licitações são vencidas por empresas com sede no município”, sublinhou.

As equipes do Observatório Social e da NK detalham o levantamento – Foto Marcos Labanca

A ferramenta é inteiramente interativa, permite verificar todos os valores lançados e os efetivamente contratados em compras e serviços, a modalidade e a localidade das empresas vencedoras do certame. Possibilita identificar as licitações por órgão municipal e o produto contemplado.

“Como forma de contribuir para a transparência, a plataforma será de acesso público no site da entidade”, informa o coordenador do Observatório Social em Foz, Thyago Klipe. “Vamos apresentar o estudo ao Comitê Gestor de Compras e aprofundar as informações da planilha referente ao ano de 2021, que terá mais dados e elementos”, apontou.

Outras informações

O diagnóstico do Observatório Social e da NK demonstra, ainda, que a prefeitura responde por 70% dos valores das licitações no ano passado: R$ 128,7 milhões. Em seguida vem o Hospital Municipal Padre Germano Lauck, com 25% dos certames, totalizando R$ 46,4 milhões. Juntos, Foztrans, Fundação Cultural, Câmara, Fozhabita e Fozprev representam pouco mais de 4% do valor licitado.

Pela ordem, reformas, gêneros alimentícios e materiais de construção são as três principais contratações de empresas iguaçuenses. No Paraná, a lista é liderada por gêneros alimentícios, materiais de construção e materiais hospitalares. As firmas de outros estados vencedoras de licitação em Foz do Iguaçu fornecem, entre os três principais itens, medicamento, saúde e material hospitalar.

Gostou do texto? Contribua para ampliar o jornalismo em Foz do Iguaçu. ASSINE JÁ

Assessoria

Este texto é de responsabilidade de assessoria da imprensa institucional e/ou empresarial. Veja mais conteúdo do autor.

Assessoria tem 541 posts e contando. Ver todos os posts de Assessoria

error: O conteúdo protegido !!! Este conteúdo e de exclusividade do H2FOZ.