Inauguração do Mercado Público ficará para 2024 em Foz do Iguaçu

Responsável pela reforma da antiga Cobal da Vila A, Itaipu Binacional está reavaliando o espaço; veja fotos do mercado por dentro.

Apoie! Siga-nos no Google News

Em material enviado à imprensa nesta sexta-feira (19), a diretoria brasileira de Itaipu informou que está retomando o projeto do Mercado Público ou Mercado Municipal de Foz do Iguaçu, no espaço da antiga Cobal, na Vila A. A inauguração, segundo a binacional, está prevista para os primeiros meses de 2024.

Leia também:
Mercado Público em Foz está pronto e aguarda licenças para lançar edital de uso

Na última quarta-feira (17), em reunião no Centro Executivo, Itaipu e Parque Tecnológico Itaipu (PTI) apresentaram, a representantes de entidades empresariais e do setor turístico de Foz do Iguaçu, a modelagem atual do negócio, que tem 3 mil metros quadrados de área construída e capacidade para comportar até 70 boxes.

Aspecto da reunião da última quarta-feira (17), no Centro Executivo de Itaipu. Foto: Rafa Kondlatsch/Itaipu Binacional
Aspecto da reunião da última quarta-feira (17), no Centro Executivo de Itaipu. Foto: Rafa Kondlatsch/Itaipu Binacional

De acordo com o diretor de Coordenação de Itaipu, Carlos Carboni, o mercado terá três aspectos principais: um viés cultural, representando a característica multicultural de Foz do Iguaçu; a valorização da agricultura familiar e do produtor rural local; e, por fim, a gastronomia, com a adesão de bares e restaurantes para criar um novo atrativo.

“Nosso objetivo é que o mercado seja um instrumento para o desenvolvimento do turismo local e também atenda à comunidade da região trinacional”, afirmou o diretor-geral brasileiro de Itaipu, Enio Verri, citado pela assessoria. “Isso tudo com a participação de associações de pequenos agricultores, da agricultura orgânica e do setor cultural, com artesanato indígena e produtos regionais.”

Apesar de já concluída, a estrutura passará por adequações até a data de inauguração, visando pontos como a melhoria da eficiência energética. A administração, inicialmente, estará a cargo do PTI, que publicará os editais de utilização dos boxes, com destinação de pelo menos 30% dos espaços para uso social, com subsídios aos custos.

Estrutura foi projetada para comportar até 70 boxes. Foto: Rafa Kondlatsch/Itaipu Binacional
Estrutura foi projetada para comportar até 70 boxes. Foto: Rafa Kondlatsch/Itaipu Binacional
Ideia é transformar o espaço em um polo de gastronomia, entretenimento e cultura. Foto: Rafa Kondlatsch/Itaipu Binacional
Ideia é transformar o espaço em um polo de gastronomia, entretenimento e cultura. Foto: Rafa Kondlatsch/Itaipu Binacional
Antiga Cobal era um dos principais pontos do comércio na Vila A. Foto: Rafa Kondlatsch/Itaipu Binacional
Antiga Cobal era um dos principais pontos do comércio na Vila A. Foto: Rafa Kondlatsch/Itaipu Binacional
LEIA TAMBÉM

Comentários estão fechados.