Vila A começa a se tornar um bairro inteligente nos próximos dois meses

Nos próximos dois meses a Vila A de Itaipu, em Foz do Iguaçu, receberá equipamentos que vão transformá-la no primeiro bairro inteligente do País. Entre eles, semáforos, pontos de ônibus, estacionamentos e iluminação pública que contam com a Inteligência Artificial para melhorar a rotina de moradores e visitantes.

Definições essenciais para a concretização da iniciativa, promovida pelo Parque Tecnológico Itaipu (PTI-BR) e Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI), em parceria com a Itaipu Binacional, foram discutidas com representantes das empresas responsáveis pelas tecnologias e da Prefeitura Municipal de Foz do Iguaçu nesta quinta-feira, 1.

Esta etapa será conduzida com celeridade para garantir o cumprimento dos prazos do projeto. O objetivo é otimizar o processo de instalação para que as soluções se integrem a equipamentos já instalados no bairro, como câmeras de segurança, e possibilitar que outras inovações sejam implantadas além das previstas inicialmente.

O perímetro da Vila A onde serão implementadas as primeiras soluções está delimitado e envolve a área entre as seguintes vias: Avenida Silvio Américo Sasdelli, Avenida Garibaldi, Avenida Tancredo Neves e BR-277.

Inicialmente, serão instaladas tecnologias de cidades inteligentes, entre as quais estão semáforos inteligentes, pontos de iluminação pública inteligente, pontos de ônibus, câmeras de reconhecimento facial e câmeras de identificação de veículos.

Na reunião de quinta, entendimentos entre os participantes da iniciativa. Foto Kiko Sierich

O líder do projeto Cidades Inteligentes da ABDI, Tiago Faierstein, falou sobre a importância da participação da prefeitura nessa tomada de decisão, uma vez que a infraestrutura criada para a conectividade dos equipamentos será pública. “Essas definições visam um crescimento tecnológico e sustentável do bairro”, afirmou.

O gerente do Centro de Tecnologias Abertas e Internet das Coisas (IoT) do Parque Tecnológico, Willbur Rogers de Souza, explicou que outras tecnologias estão previstas para serem instaladas no bairro em 2021, como o monitoramento climático, conexão wi-fi pública e um aplicativo que poderá ser acessado pelos moradores com funções como botão de pânico, itinerário do transporte pública e rota dos caminhões de coleta seletiva.

“Além deste planejamento inicial de implementação de tecnologias, empresas de todo o Brasil poderão, em um segundo momento, candidatar-se para testar e validar outras tecnologias nesse ambiente de demonstração que será criado na Vila A, sempre tendo como foco o bem estar do cidadão”, destacou Willbur.

Esse processo é facilitado devido à instituição de uma “sandbox” no bairro, regulamentada por decreto  publicado em junho pela prefeitura, criando um ambiente experimental de inovação científica, tecnológica e empreendedora.

 

error: O conteúdo é de exclusividade do H2Foz.