Blog pelo Paraná – IPVA, Atendimento online, Cidade industrial e Reformas

Etapa concluída
O secretário de Saúde, Beto Preto, informou que foi concluída no Paraná a vacinação de índios aldeados e dos idosos em instituições de longa permanência, grupos prioritários como previsto no Plano Nacional de Imunização. Receberam a primeira dose da proteção os 10.565 índios que residem em terras demarcadas e 12.224 idosos, com 60 anos ou mais, residentes em instituições de longa permanência para idosos (ILPI).

IPVA
Termina na sexta-feira o prazo de pagamento à vista do IPVA. As datas finais para o pagamento à vista acontecem desde o dia 25 até 29 de janeiro, conforme o número final da placa do veículo. Essa opção conta com um desconto de 3%. No dia 19 de janeiro, a Receita Estadual do Paraná havia prorrogado o prazo de vencimento do Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) devido uma instabilidade no site da Secretaria da Fazenda, que causou lentidão no sistema.

Atendimento online
O atendimento presencial nos fóruns e cartórios eleitorais do Paraná permanece suspenso como medida preventiva à pandemia de Covid-19. Os serviços da Justiça Eleitoral estão disponibilizados pela internet. O Tribunal Regional Eleitoral do Paraná conta também com o Disque-Eleitor 0800-640-8400 ou diretamente com o cartório eleitoral por telefone, e-mail ou WhatsApp.

Cidade industrial
Ponta Grossa é sede de mais uma indústria, a gaúcha Pervale. A empresa escolheu a cidade nos Campos Gerais para montar a sua terceira unidade, as outras duas estão nas cidades de Novo Hamburgo e São Leopoldo, no Rio Grande do Sul. A indústria é fabricante de componentes para a construção civil, têxtil e agricultura. A planta de Ponta Grossa irá fabricar principalmente materiais filtrantes para serem aplicados nas fábricas de biodiesel e óleos. A unidade deve gerar 30 empregos diretos.

Nas alturas
Petrobras anuncia novo aumento no preço dos combustíveis. Depois da disparada de 7,6% em 18 de janeiro, o preço voltou a subir pela segunda vez no ano. Com o novo reajuste, o preço médio da gasolina passa a ser de R$ 2,08, uma alta de R$ 0,10 por litro repassado ao consumidor. O diesel também terá aumento, o avanço no preço médio é de R$ 0,09, com a alta de 4,4%, passando para R$ 2,12 nas refinarias.

Reformas
O ministro da Economia, Paulo Guedes, voltou a declarar que apenas com a imunização contra a Covid-19 e o andamento da agenda de reformas o país poderá alcançar uma retomada. “Para que a economia possa voar novamente, nós precisamos acelerar essa vacinação em massa”, afirmou. Guedes também apelou para que o Congresso empenhe-se no andamento das privatizações e das reformas administrativas e tributária.

Congresso do agro
O Instituto Brasileiro de Direito do Agronegócio (IBDA) promove a primeira edição do Congresso Brasileiro de Direito do Agronegócio, no dia 31 de março de 2021. O evento contará com participação presencial e online e também terá transmissão virtual pelo site oficial. Na programação estará o debate sobre as Reformas e a Competitividade; Sustentabilidade e Segurança Alimentar; Participação do Investimento Estrangeiro; e Sistema de Financiamento Privado.

Sisu
O Ministério da Educação (MEC) informou que as instituições públicas de educação superior têm de 8 a 12 de fevereiro para fazer a adesão ao primeiro processo seletivo de 2021 do Sistema de Seleção Unificada (Sisu). A seleção dos candidatos às vagas disponibilizadas serão exigidos, exclusivamente, os resultados obtidos pelos estudantes no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2020.

Vacinas ao Brasil
As vacinas contra a covid-19 distribuídas até o momento são suficientes para imunizar 7% dos públicos prioritários definidos no plano de imunização contra a doença. Segundo o Conass, até o momento, foram encaminhadas aos estados 8,9 milhões de doses, entre vacinas da Oxford/AstraZeneca e CoronaVac. Os públicos prioritários do plano de vacinação somam 77,2 milhões de pessoas. Para imunizar todo este contingente, são necessárias mais de 154 milhões de doses. A previsão do governo brasileiro é que em 2021 sejam adquiridas ou fabricadas por instituições brasileiras 354 milhões de doses de vacinas contra o novo coronavírus.

Registro definitivo
Nesta sexta-feira a Fiocruz deve pedir o registro definitivo da vacina de Oxford. A aprovação permitiria a imunização em massa das parcelas da população que participaram dos testes clínicos. No uso emergencial, o único aprovado até agora no Brasil, só é possível utilizá-los em um público alvo pré-definido e durante um prazo pré-determinado. Se o pedido for concretizado, será o primeiro do tipo feito em território nacional.

Setor privado
O presidente Jair Bolsonaro se disse favorável à compra de imunizantes pela iniciativa privada. O setor privado negocia 33 milhões de doses da vacina de Oxford, com a prerrogativa de que 16,5 milhões seriam repassados ao SUS gratuitamente. A AstraZeneca, que produz o fármaco, descartou a possibilidade por meio de uma nota. Segundo a farmacêutica, “no momento, todas as doses estão disponíveis por meio de acordos firmados com governos e organizações multilaterais”.

Sem ocupação
O levantamento realizado pela consultoria IDados, com base na Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) Trimestral, mostra que entre os meses de setembro de 2019 e de 2020, 11,5 milhões de brasileiros saíram da população ocupada no setor privado, número recorde. O Brasil tinha 70,6 milhões de trabalhadores que atuavam no setor privado em setembro do ano passado, número que inclui formais, informais, empregadores, conta própria, entre outros.

Coluna publicada simultaneamente em 20 jornais e portais associados. Saiba mais em www.adipr.com.br.

Gostou do texto? Contribua para ampliar o jornalismo em Foz do Iguaçu. ASSINE JÁ

Associação dos Diários do Interior – PR

A coluna “Pelo Paraná” é de responsabilidade da ADI-PR (Associação dos Jornais Diários do Interior do Paraná) Veja mais mais conteúdo do autor.

error: O conteúdo é de exclusividade do H2Foz.