“O mar começa aqui”. Conheça a ideia e faça sua parte

Pintura tem intenção de despertar o olhar para o problema dos resíduos jogados nas vias públicas. Foto: Divulgação

Aida Franco de Lima – OPINIÃO

Você já escutou a expressão de que ‘todo rio corre para o mar’?  Logo, todo lixo de nossas ruas, que vai para os bueiros, também! Sim, aquela tampinha de garrafa, o copo descartável, a garrafa pet, o esgoto clandestino, o resíduo industrial, o veneno jogado para ‘limpar’ o terreno baldio…Tudo é encaminhado para ás águas salgadas. Claro que a tampinha de garrafa tem uma série de rotas que pode seguir. Inclusive retornando através de enchente para dentro das casas.  A ação do humano, de um jeito ou de outro, tem uma reação na e da natureza!

WHATSAPP – Assine a nossa linha de transmissão.

TELEGRAM – Entre em nosso grupo.

Pinturas nas bocas de lobo deixam o ambiente mais vivo e semeiam a Educação Ambiental
Uma atividade que pode ser feita em qualquer rua e gerar ótimos resultados. Foto Hora de Bombinhas

Sabe aquele bueiro, que muitas vezes o seu vizinho usa para varrer a calçada e jogar tudo quanto é tipo de lixo? Então, ali não é uma lixeira, é sim a porta de entrada para a água que irá se juntar aos rios, riachos. Através das águas que entram nas galerias pluviais, cujo nome significa água da chuva, todo esse mundaréu da fórmula preciosa, H2O (água!), vai procurar uma saída, que será em algum rio, riacho, arroio. Estes irão desaguar no maior rio que encontrarem pelo caminho. Estamos diante, então de uma Bacia Hidrográfica cujas águas vão correr em direção aos oceanos. É dessa forma que seu lixo descartado de maneira incorreta poderá viajar longas distâncias e aquela tampinha de garrafa te encontrar nas suas férias de verão, na praia…

Isso significa que uma cidade limpa, em que ninguém jogaria lixo na rua, não impede que o rio local esteja livre de detritos. Isso porque o meio ambiente é como se fosse uma grande teia de aranha. Se você mexe em um ponto, todo o restante será impactado. Por exemplo, a conservação da Rio Iguaçu está ligada ao comportamento das indústrias, moradores e de quem está nas ruas de Curitiba. O resíduo industrial ou esgoto doméstico, assim como a tampinha de garrafa que entram nas galerias pluviais vão em direção aos rios curitibanos Iraí ou Atuba. É da junção desses dois rios que nasce o Rio Iguaçu. Para quem não sabe, o Iguaçu é um gigante, o maior rio em extensão do Paraná (1320km) que desagua no Rio Paraná, em Foz do Iguaçu. E esse é um rio muito poluído, justamente por conta da carga de resíduo industrial proveniente da região metropolitana de Curitiba.

O descarte de objetos plásticos em vias públicas é uma cena que deveria ser combatida o tempo todo
Somente com a Educação Ambiental o cidadão vai compreender como um copo jogado na via pública faz mal a ele também.
Foto: Aida Franco de Lima

A CAMPANHA
Muita gente já viu por aí imagens que mostram bueiros/bocas de lobo, com pinturas que lembram o mar e os dizeres: ‘o mar nasce aqui’. O movimento nasceu em Portugal e pode ser conhecido detalhadamente em sua página oficial e aqui no Brasil muitas cidades já copiaram. Uma das imagens de ação similar no Brasil, que viralizou há pouco tempo, foi divulgada pelo site Hora de Bombinhas, que explicou: “A ação integra as atividades de educação ambiental do Programa Bandeira Azul e tem o objetivo de conscientizar sobre a importância de descartar corretamente os resíduos, para evitar que o lixo jogado na rua obstrua o escoamento da água, provocando alagamentos e poluindo o mar.”


Você pode levar a ideia para sua rua, bairro, escola, trabalho, condomínio. Pode envolver seus filhos, as crianças da família, da escola. Uma ação que promove uma cidade mais colorida e promove a Educação Ambiental! Se alguém deixar de jogar objetos na rua e dispensá-los em local apropriado, após ser alertado para o problema, o Rio Iguaçu, assim como a natureza, agradecem! Pense nisso!

Gostou do texto? Contribua para ampliar o jornalismo em Foz do Iguaçu. ASSINE JÁ

Já escutou o último episódio do GUARÊ, o podcast do H2FOZ? OUÇA AGORA

É proibida a reprodução total ou parcial deste conteúdo sem prévia autorização do H2FOZ.

Aida Franco de Lima

Aida Franco de Lima é jornalista, professora e escritora. Dra. em Comunicação e Semiótica, especialista em Meio Ambiente. E-mail: [email protected] Veja mais conteúdo da autora.