Foz tem saldo negativo de 712 empregos em dezembro e fecha com queda de 32,6% nas vagas em 2022

Resultado entre contratações e demissões em 12 meses foi de 2.852 postos de trabalho, ante 4.235 em 2021; serviços e comércio lideram a oferta.

Apoie! Siga-nos no Google News

Foz do Iguaçu sentiu o saldo de emprego esvair-se em dezembro do ano passado, com o resultado negativo de 712 vagas. A conta no vermelho resulta de 2.574 contratações e 3.286 desligamentos, conforme dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Novo Caged).

Os cinco grupos econômicos apresentaram balanço negativo no último mês de 2022. Os serviços, que incluem o segmento de turismo, apresentaram a maior queda de saldo, em plena alta temporada de visitação; em seguida aparece o comércio. O Novo Caged registrou o seguinte saldo em dezembro, por setor:

  • Agropecuário: -3
  • Comércio: -163
  • Construção: -83
  • Indústria: -38
  • Serviços (incluindo turismo): -425
    TOTAL: -712

Os dados não mensuram o número de desempregados nem o total de trabalhadores em situação de informalidade ou de atividade precária. Nesse levantamento, o Novo Caged expõe as contratações e demissões relatadas oficialmente pelos empregadores ao longo do ano.

2022 em queda

O saldo de emprego também encolheu 32,65% em 2022, na comparação com 2021. De janeiro a dezembro do ano passado, a diferença entre contratados e demitidos foi de 2.852 vagas, ante 4.235 registradas um ano antes. Serviços e comércio lideram a oferta anual de postos de trabalho com carteira assinada:

  • Agropecuário: -7
  • Comércio: 1.011
  • Construção: 120
  • Indústria: 9
  • Serviços (inclui turismo): 1.719
    TOTAL: 2.852

O saldo de 2.852 postos de trabalho decorre de 36.945 contratações e 34.093 desligamentos nos 12 meses do ano que passou. A boa notícia é a recuperação do estoque de emprego, os vínculos empregatícios ativos, que aumentou e atingiu 60.158 contratos, já que a pandemia derreteu 5.051 vagas em 2020.

O resultado ruim em dezembro e a queda em 2022 ante 2021 não tiraram o otimismo da gestão municipal, que considerou Foz do Iguaçu como “destaque na geração de empregos em 2022”, por meio da imprensa oficial. Para o prefeito Chico Brasileiro (PSD), foi possível recuperar as vagas perdidas com a covid-19.

Para ele, “2023 será um grande ano para a geração de empregos”, declarou, via Agência Municipal de Notícias. “Foz do Iguaçu está recebendo novos empreendimentos e a Agência do Trabalhador tem feito um trabalho fantástico, na busca e no direcionamento destes trabalhadores”, frisou o prefeito.

Atrás de Toledo, à frente de Pinhais

A partir dos dados do Novo Caged de saldo de emprego, Foz do Iguaçu fica atrás de cidades como Toledo e Cascavel, ambas da Região Oeste. O município de fronteira se posiciona à frente de Pinhais e Francisco Beltrão. O “top 10” em postos de trabalho no Paraná ano de 2022 é o seguinte (*):

  1. Curitiba: 30.452
  2. Londrina: 7.023
  3. São José dos Pinhais: 6.603
  4. Maringá: 4.241
  5. Ponta Grossa: 3.633
  6. Toledo: 3.574
  7. Cascavel: 3.103
  8. Foz do Iguaçu: 2.852
  9. Pinhais: 2.579
  10. Francisco Beltrão: 1.599

*Acesso ao Novo Caged em 2 de fevereiro de 2023.

Emprego no estado

O Paraná também teve saldo negativo de empregos em dezembro e fechou 2022 com a abertura de 118.149 novos postos de trabalho formais, liderando na Região Sul do Brasil. Três em cada quatro municípios paranaenses tiveram saldo positivo: das 399 cidades, 299 registraram mais contratações do que demissões no ano.

LEIA TAMBÉM

Comentários estão fechados.