Vá acostumando-se. Vazamentos no Pix serão frequentes, afirma Banco Central

O BC afirma que atua para deixar o sistema cada vez mais seguro - Foto: Marcello Casal/ABr

Até agora, dados vazados são “pouco sensíveis”, diz o banco. Pagamento instantâneo transfere recursos entre contas em poucos segundos.

Segundo o Banco Central (BC), vazamentos de dados do Pix deverão ser frequentes. A afirmação sobre o funcionamento do sistema de pagamento instantâneo é do presidente da autarquia, Roberto Campos Neto.

WHATSAPP – Assine a nossa linha de transmissão.

TELEGRAM – Entre em nosso grupo.

De acordo com o representante da instituição, até agora ocorreram “casos leves”. Mas como a tendência é a de que esse universo de dados cresça exponencialmente, “os vazamentos vão acontecer com alguma frequência”.

O diretor do BC advertiu que não há a pretensão de banalizar as ocorrências com o alerta. Frisou que estão sendo adotadas providências para que elas se deem na menor escala possível.

As informações de usuários do Pix expostas não incluem dados como senhas e movimentações financeiras, assegurou o agente público. “Os vazamentos abrangem, na maior parte, dados que podem ser obtidos publicamente”, apontou a Agência Brasil.

Ainda de acordo com Roberto Campos Neto, o Banco Central adota medidas mais transparentes que as de outros países. Os vazamentos, disse, são comunicados no site do banco (clique aqui).

Desde a semana passada, o BC informou que não divulgará mais os casos de exposição de dados de chaves Pix por meio de avisos. Essas situações serão listadas no site da instituição.

O Banco Central confirma três casos de vazamento de informações desde a criação do Pix, no final de 2020. No mais recente, na semana passada, 2.112 chaves Pix de clientes da empresa de pagamentos LogBank foram vazadas.

Pagamento rápido

O Pix está enraizado entre as transações comerciais de pessoas e empresas que possuem uma conta, seja corrente, poupança ou de pagamento pré-paga. São 734 instituições aprovadas pelo Banco Central para ofertar esse sistema. Por esse meio de pagamento instantâneo, os recursos são transferidos entre contas em poucos segundos, a qualquer hora ou dia.

Outras funcionalidades estão sendo desenvolvidas, como a função de débito automático e a remuneração do dinheiro que fica parado na conta. Segundo o Banco Central, as modalidades Pix Saque e Pix Troco, em vigor desde o fim de novembro, movimentaram R$ 9,7 milhões e R$ 100 mil, respectivamente, em janeiro deste ano.

Gostou do texto? Contribua para ampliar o jornalismo em Foz do Iguaçu. ASSINE JÁ

Já escutou o último episódio do GUARÊ, o podcast do H2FOZ? OUÇA AGORA

É proibida a reprodução total ou parcial deste conteúdo sem prévia autorização do H2FOZ.

Paulo Bogler - H2FOZ

Paulo Bogler é jornalista e repórter do H2FOZ. e-mail: [email protected] Veja mais mais conteúdo do autor.