Ossos de boi vendidos ou doados: o que aprendemos sobre empatia no período pandêmico

Placa com preço do quilo de ossos de boi — Foto: Caroline Borges/G1 SC

Precisou o Procon do Paraná emitir uma recomendação administrativa para que carcaças de frango e peixe ou ossos de boi deixem de ser comercializados e sejam doados a pessoas em condição de vulnerabilidade social. Essa medida, além do efeito que pretende atingir, repõe o sentido da empatia, palavra tão usada nestes tempos pandêmicos.

Para o órgão de defesa do consumidor, vender esses produtos no momento em que as pessoas de baixa renda sofrem o impacto da pandemia significa a obtenção de uma vantagem excessiva. Não é humanamente admissível tal vantagem enquanto famílias inteiras não conseguem pôr na mesa o alimento diário.

A inflação, que em setembro foi a mais alta para o mês desde 1994, conforme o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), já passa de dois dígitos no acumulado dos últimos 12 meses, pressionando os preços dos alimentos. Isso em um cenário de crise social e econômica, muito dela agravada pela pandemia.

A FAO, órgão das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura, mantém atividades durante a semana para marcar o Dia Mundial da Alimentação, celebrado nesse 16 de outubro. A organização estima que, atualmente, quase 50 milhões de pessoas vivam em situação de insegurança alimentar grave ou moderada no Brasil.

Aproximadamente um em cada quatro brasileiros não consegue comer por um ou mais dias ou não sabe se terá alimentos suficientes nas próximas refeições, tendo de racionar alimentos. E o país, vale o registro, produz comida em abundância e está entre os maiores exportadores internacionais de víveres.

Que as cenas de brasileiros disputando a fila da doação de ossos ou tateando um pedaço de pelanca ainda aproveitável em um caminhão de supermercado sirvam como um chamado à ação dos governantes. E que sejam capazes de estimular a empatia como um senso humanitário que leva à prática, ao fazer de forma solidária que possa minimizar o sofrimento de alguém que está próximo.

Gostou do texto? Contribua para ampliar o jornalismo em Foz do Iguaçu. ASSINE JÁ

Já escutou o último episódio do GUARÊ, o podcast do H2FOZ? OUÇA AGORA

H2FOZ – Editorial

Este texto expressa a opinião do H2FOZ a respeito do assunto. E-mail [email protected]Veja mais conteúdo do autor.

H2FOZ – Editorial tem 34 posts e contando. Ver todos os posts de H2FOZ – Editorial

error: O conteúdo protegido !!! Este conteúdo e de exclusividade do H2FOZ.