Educadores pedem a prefeitos e à 9ª Regional de Saúde medida para suspender prova de professores temporários

Aglomeração para o teste e aumento do número de casos de covid-19 em Foz do Iguaçu e na região expõem profissionais ao risco da doença.

Da Assessoria 

A APP-Sindicato/Foz requereu à chefia da 9ª Regional de Saúde e aos prefeitos de Foz do Iguaçu e de oito cidades da área de abrangência da entidade medida para impedir a realização de provas presenciais para a contratação de professores temporários, os PSSs. O pedido é justificado com base nas medidas sanitárias de contenção à covid-19.

O exame está previsto para acontecer em dezembro, em Foz do Iguaçu e outros municípios que contam com núcleos regionais, órgãos que representam a Secretaria de Estado da Educação (Seed). Conforme foi divulgado pelo governo, o Processo Seletivo Simplificado (PSS) para a contratação de professores recebeu mais de 47 mil inscrições.

O sindicato enfatiza o risco à saúde dos educadores que precisarão comparecer a locais de grande aglomeração para fazer a prova. A entidade destaca o vertiginoso aumento do número de casos de covid-19, citando que nos municípios da 9ª Regional de Saúde a incidência da doença está 50% acima da média estadual, em quadro de emergência.

“Devido ao risco pela exposição à covid-19, o Governo do Paraná suspendeu até mesmo concursos públicos de outras categorias, porque esse processo não é seguro”, frisa o presidente da APP-Sindicato/Foz, Diego Valdez. “O que estamos pedindo é que a Seed tenha bom senso e não arrisque a vida de milhares de professores”, conclui.

Conforme Diego, neste ano é a primeira vez que o edital para PSS exige prova. “Já existem critérios de seleção usados há muitos anos. Não há razão para essa prova excludente, inventada agora para contratar os profissionais por um ano, que não terão nenhum benefício da carreira pública. Defendemos prova para concurso”, sublinha.

O dirigente sindical afirma que o teste presencial, se for mantido, exigirá que educadores se desloquem das suas cidades para os locais que concentrarão as provas. Muitos candidatos precisarão utilizar o transporte coletivo em Foz do Iguaçu e estabelecimentos gastronômicos para realizar suas refeições.

“É um cenário que deve preocupar prefeitos e gestores da saúde nos municípios, que já enfrentam problemas no atendimento hospitalar”, reforça Diego Valdez. Ele destaca, ainda, a iniciativa da Prefeitura de Paranavaí, no Noroeste do Paraná, que pediu o cancelamento, na cidade, da prova para PSS devido às questões sanitárias.

Documento

O pedido formulado pela APP-Sindicato/Foz foi enviado à chefe da 9ª Regional de Saúde, Iélita Santos da Silva; ao prefeito de Foz do Iguaçu, Chico Brasileiro (PSD); e a gestores das cidades de Santa Terezinha de Itaipu, São Miguel do Iguaçu, Medianeira, Missal, Itaipulândia, Matelândia, Ramilândia e Serranópolis do Iguaçu.

error: O conteúdo é de exclusividade do H2Foz.