Escolas reagem contra intervenção e pela prorrogação do mandato de diretores

Comunidade realiza ato público na Vila C, nesta quarta-feira, 23, para pedir a permanência da direção. Conselho Escolar cobra respeito aos profissionais. Colégios lançaram abaixo-assinados.

Pais, alunos e educadores de escolas da rede estadual em Foz do Iguaçu e região iniciaram campanhas para defender o mandato de diretores eleitos. As ações são contra a destituição desses profissionais para a nomeação de interventores nas escolas por critério da chefia do Núcleo Regional de Educação (NRE).

As atividades são realizadas de muitas formas, com reuniões de pais e alunos, abaixo-assinados eletrônicos, manifestações e posicionamento de conselhos, que são as instâncias máximas de decisão nas instituições de ensino. Além das mobilizações, a APP-Sindicato/Foz oferece assistência jurídica às diretorias escolares.

Em Foz do Iguaçu, pais, alunos, professores, equipes pedagógicas e a direção de quatro escolas já lançaram abaixo-assinados virtuais para a adesão da comunidade pela manutenção de seus diretores. Os colégios são Almiro Sartori, Ayrton Senna da Silva, Gustavo Dobrandino da Silva e Jorge Schimmelpfeng.

O texto unificado repudia as destituições e afirma que essas medidas são arbitrárias. “A comunidade escolar, através deste abaixo-assinado, demonstra repúdio à ação arbitrária da chefe do Núcleo Regional de Educação de Foz do Iguaçu que destituiu diretores eleitos pela comunidade, alegando inveridicamente o descumprimento de suas atribuições”, frisa o documento.

Educadores realizaram vigília em dois dias no NRE de Foz – Foto: Divulgação

Ato público na Vila C

A comunidade do Colégio Professor Flávio Warken, na Vila C, realizará ato público nesta quarta-feira, 23, às 10h, em frente à escola. Na ocasião, será coletada assinatura para uma carta de repúdio e de permanência da atual direção, mediante a apresentação de documento de identidade. A mobilização seguirá as normas sanitárias vigentes.

Conselho Escolar

O Conselho Escolar do Colégio Gustavo Dobrandino da Silva está distribuindo nota pública para “denunciar veementemente” a destituição de seus diretores eleitos. A entidade afirma tratar-se de ato arbitrário, sem critérios e que não permite defesa nem o registro formal das argumentações dos profissionais despojados dos cargos.

O documento ressalta que os membros do conselho acompanharam a reunião de destituição da direção escolar e atestaram a “falta de respeito com toda a comunidade escolar”. O texto salienta que a medida do NRE de Foz do Iguaçu e do governo estadual contraria a Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB).

Carta dos pais

Pais, estudantes e educadores do Colégio Jorge Schimmelpfeng realizaram reunião on-line nessa segunda-feira, 21, e decidiram manifestar-se pela permanência da direção. Além do abaixo-assinado digital, foi elaborada e firmada uma carta, que será protocolada no NRE iguaçuense.

Reunião on-line de pais de alunos do Colégio Jorge Schimmelpfeng a favor da direção – Foto: Reprodução

Também repudiando os afastamentos feitos pelo órgão educacional, a comunidade escolar “reivindica a revogação das destituições dos cargos diretivos, possibilitando a prorrogação dos mandatos da atual gestão”, requer o documento.

Outras ações

As comunidades escolares de outros estabelecimentos de ensino farão reuniões para definir formas de mobilização para impedir a nomeação de interventores. O objetivo é assegurar a prorrogação do mandato de diretores eleitos.

Entenda o caso

Com a suspensão da consulta para a escolha de direções escolares, por causa da pandemia, a Secretaria de Estado da Educação (Seed) atribuiu aos NREs a decisão sobre a prorrogação ou não das gestões escolares. A categoria denuncia que esse procedimento está ocorrendo por conveniência política, sem critérios nem transparência.

“Essa atitude ilegal enterra a gestão democrática e torna os ambientes de trabalho insustentáveis, caso alguém aceite ser nomeado interventor”, aponta o diretor da APP-Sindicato/Foz, Silvio Borges. “Enfatizamos a importância das ações conjuntas das comunidades escolares para defender que suas decisões democráticas sejam respeitadas”, completa.

Após protesto em frente ao NRE de Foz do Iguaçu, nessa segunda-feira, 21, educadores conseguiram obter a suspensão das reuniões convocadas pelo órgão para destituições que estavam sendo lançadas em atas com informações inverídicas. Sem buscar qualquer diálogo para resolver o impasse, o núcleo educacional voltou a chamar diretores individualmente.

Acesso aos abaixo-assinados:

Almiro Sartori

Ayrton Senna da Silva

Gustavo Dobrandino da Silva

Jorge Schimmelpfeng

Gostou do texto? Contribua para ampliar o jornalismo em Foz do Iguaçu. ASSINE JÁ

error: O conteúdo é de exclusividade do H2Foz.