Caminhada de 85km promove três dias de contato com a natureza. Trajeto une Foz a quatro cidades 

H2FOZ – Paulo Bogler 

Paisagens naturais, ar puro, banho de rio, refeições em propriedades rurais e contato direto com o sossego da vida no campo. E o celular? Só para registrar essa experiência. É o que promove a 17ª Caminhada Foz do Iguaçu-Morro da Salete, que teve sua primeira edição em 2004 e neste ano acontece de 31 de outubro a 2 de novembro. 

São três dias de caminhada. O trajeto tem aproximadamente 85 quilômetros e abrange cinco cidades da região: Foz, Santa Terezinha de Itaipu, São Miguel do Iguaçu, Serranópolis e Medianeira – onde termina o passeio. As inscrições estão abertas, com vagas limitadas de participantes. 

Um dos coordenadores do Grupo Gato do Mato/Trekking Foz, que organiza o evento, Francisco Sales, o Pimpão, participou do programa Marco Zero, do H2FOZ e Rádio Clube FM. Assista à entrevista: 

O caminho pela natureza ao Morro da Salete margeia o Parque Nacional do Iguaçu. Os participantes andam diariamente pouco mais de 20 quilômetros. O grupo é acompanhado por um caminhão, que dá o suporte de logística, e veículos que seguem os caminhantes. Quem não consegue completar termina o trajeto de carro.  

“Cada participante tem um objetivo na caminhada. Algumas pessoas a fazem por um sentido religioso. Outras, para se conhecer melhor e sentir o próprio limite”, explica Francisco Sales. “Há ainda quem faça o caminho pelo companheirismo, pela amizade”, completa. 

A iniciativa, rememora, começou com um grupo de servidores, em 2004, e foi ganhando adeptos. Neste ano, segundo os promotores, cerca de 50 pessoas poderão participar, devido aos cuidados sanitários necessários por conta da pandemia de covid-19. 

“Vivenciamos a vida do campo, tomamos banho de rio e fazemos as refeições em chácaras que integram o trajeto”, relata Francisco. “No caminho, é normal encontrarmos animais silvestres que vivem no Parque Nacional do Iguaçu, pois passamos na beira da unidade”, expõe. 

Na aventura junto à natureza, os desafios também são compartilhados. “Praticamos o coleguismo, as pessoas se ajudam. Às vezes, é necessário olhar para trás para ajudar o outro, algo necessário em nossas vidas, mas que muitas vezes esquecemos. A caminhada ajuda a visualizar isso”, reflete Francisco. 

Caminhada tem percurso às margens do Parque Nacional do Iguaçu – foto Grupo Gato do Mato/Facebook

Morro da Salete 

A escadaria do Morro da Salete é um dos locais mais visitados de Medianeira. São 548 metros de altitude e 234 degraus, de acordo com a prefeitura, com a imagem de Nossa Senhora da Salete no topo. No alto, o pôr do sol da Região Oeste é ainda mais deslumbrante. 

Histórico 

De acordo com o Instituto de Desenvolvimento Rural do Paraná (Iapar-Emater), as caminhadas de natureza tiveram início na França, no século 20, para fomentar a economia em regiões rurais arrasadas pela 2ª Guerra Mundial. A prática se difundiu pelo mundo, valorizando o turismo rural. No início deste ano, antes da pandemia, o instituto divulgou calendário com 160 circuitos que estavam previstos para 2020 em todo o estado. 

17ª Caminhada Foz do Iguaçu-Morro da Salete
Saída: 31 de outubro (sábado), às 8h
Local: Avenida Felipe Wandscheer (Supermercado Consalter), em Foz
Conclusão do passeio: 2 de novembro (feriado), no Morro da Salete, em Medianeira
Valor: R$ 120 (iniciantes)

Participantes recarregam as energias em banhos de rio. 
Caminhão dá apoio logiístico ao grupo, carregando alimentos, mochilas, água e gelo
Refeições são em propriedades rurais, devidamente autorizadas. 
Participantes concluem o passeio nos 234 degraus do Morro da Salete. 

Fotos: Grupo Gato do Mato/Facebook

error: O conteúdo é de exclusividade do H2Foz.