Duty Free Puerto Iguazú “cansa” de esperar liberação do Brasil e reabre as portas

Enfim, aberto ao público. Foram mais de 20 meses sem atividades. Foto Divulgação

Intenção era voltar a funcionar apenas quando saísse portaria do Brasil permitindo acesso de argentinos ao País, prevista pra hoje, 1º de dezembro.

Ao meio-dia desta quarta-feira, 1º, o Duty Free Shop Puerto Iguazú, na fronteira da Argentina com o Brasil, reabre as portas, depois de permanecer fechado por mais de 10 meses (foi obrigado a encerrar atividades no dia 17 de março de 2020).

WHATSAPP – Assine a nossa linha de transmissão.

TELEGRAM – Entre em nosso grupo.

A data inicial da volta às atividades deveria ser em 1º de novembro, mas depois a empresa informou que, “por razões fora do controle da empresa concessionária”, a data seria adiada até que o Brasil permitisse a entrada de todos os argentinos em seu território.

Embora por uma questão de reciprocidade diplomática o Brasil pudesse reabrir as fronteiras desde que a Argentina permitiu a entrada por terra dos brasileiros, em 1º de novembro, até agora não saiu a autorização.

No dia 12 de novembro, o senador catarinense Jorginho Mello (PL/SC), líder do governo no Senado e no Congresso, anunciou via redes sociais que, atendendo ao pedido dele, o ministro do Turismo, Gilson Machado Neto, havia garantido que a fronteira do Brasil seria reaberta para argentinos em 1º de dezembro.

Em sete dias, a contar de 12 de novembro, segundo o ministro, sairia a portaria alterando a de nº 658, de 5 de outubro deste ano, que impede o acesso de estrangeiros por vias terrestres, mas permite a entrada pela fronteira do Paraguai.

Chegou 1º de dezembro e… nada.

MAIS RESTRIÇÕES

Nem portaria e muito menos a liberação de acesso ao Brasil, por terra, de argentinos e uruguaios.

Ao contrário, a portaria nº 660, publicada em 27 de novembro, manteve a restrição de entrada por terra dos estrangeiros (exceção feita à fronteira do Paraguai).

A nova portaria apenas acrescentou mais proibições: a de acesso de viajantes estrangeiros procedentes da África do Sul, Botsuana, Essuatíni, Lesoto, Namíbia e Zimbábue, devido ao surgimento da nova variante do coronavírus, a ômicron.

É bem provável que, por recomendação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária, saia uma nova portaria, alterando a de nº 660, para incluir a restrição de entrada a mais quatro países: Angola, Malawi, Moçambique e Zâmbia.

Como dependia da Anvisa a liberação da entrada de argentinos e uruguaios, mas agora tem esta ômicron no caminho, é difícil que, junto com a restrição a mais países africanos, seja liberado o acesso por terra dos vizinhos.

Na página do Facebook do senador Jorginho Mello, ele nada responde a dezenas de pessoas, argentinos e brasileiros, que perguntam como ficou a tal promessa de liberação.

FUNCIONAMENTO DO DUTY FREE

Para quem gosta de fazer compras no Duty Free Shopg de Puerto Iguazú, o horário de funcionamento é das 12h às 20h, de domingo a quinta-feira, e das 12h às 21h nas sextas e sábados.

Segundo a empresa, serão cumpridos os protocolos sanitários do Ministério da Saúde da Argentina e da província de Misiones.

AGÊNCIAS DE VIAGENS

Uma das praias de Florianópolis, cidade que os argentinos põem num dos primeiros lugares na preferência de viagem. Foto Pixabay

Não foi só o Duty Free de Puerto Iguazú que foi prejudicado pela demora na abertura da fronteira terrestres do Brasil a argentinos.

Faltando pouco tempo para a temporada de férias, a portaria do governo que manteve fechadas as fronteiras causou surpresa às agências de viagens de Misiones, que já estão preparando pacotes para viagens às praias do Sul, principalmente de Santa Catarina, como informa o portal El Territorio.

A indecisão do Brasil e a decisão do governo argentino de proibir o financiamento de viagens ao exterior em prestações “faz com que a temporada de férias no Brasil fique completamente relegada, este ano”, lamenta Héctor Dopazo, presidente da Associação Missioneira de Agências de Turismo.

Asimismo, consideró que la falta de definiciones por parte de Brasil, sumada a la prohibición de la financiación de viajes en cuotas, “hace que la temporada de vacaciones en el Brasil quede completamente relegada este año”.

Agora, segundo ele, as agências vão trabalhar apenas com destinos dentro da Argentina, “porque não temos alternativas frente a esta situação”.

PELO PARAGUAI

Como os argentinos, principalmente de Misiones, têm já quase como “tradição” passar uma temporada de férias nas praias brasileiras, a opção para os que querem viajar de carro – que são maioria – é entrar no Brasil por Ciudad del Este, depois de atravessar a fronteira entre Posadas, capital de Misiones, e a cidade paraguaia de Encarnación.

A distância aumenta uns 300 km, mas a entrada pelo Paraná, ao menos, tem agora um gasto a menos, para os argentinos: eles não vão mais pagar pedágio ao atravessar o Estado rumo ao Litoral catarinense.

Gostou do texto? Contribua para ampliar o jornalismo em Foz do Iguaçu. ASSINE JÁ

Já escutou o último episódio do GUARÊ, o podcast do H2FOZ? OUÇA AGORA

É proibida a reprodução total ou parcial deste conteúdo sem prévia autorização do H2FOZ.

Claudio Dalla Benetta - H2FOZ

Cláudio Dalla Benetta é jornalista e repórter do H2FOZ. e-mail: [email protected] Veja mais mais conteúdo do autor.