Feriadão de filas em Puerto Iguazú. Misiones promete agilizar travessia

Filas e muita espera pra atravessar a fronteira. Foto CVI Notícias

Portais argentinos reportam dificuldade que os brasileiros enfrentaram para chegar ao outro lado da fronteira.

Puerto Iguazú pode ganhar o slogan de “cidade das filas”. É fila pra entrar- pelo menos uma hora – e fila pra abastecer o carro – aí, o tempo varia, pode chegar a várias horas pra quem quer encher o tanque.

Pra questão da gasolina, não há solução: com o preço pela metade do que custa aqui, quem está na fila é porque precisa – trabalha com aplicativos, por exemplo – ou tem paciência o suficiente pra garantir a economia.

Mas, quando se soma ao tempo de espera na Aduana, aí nem os mais pacientes aguentam. Na segunda-feira, 15, feriado no Brasil, os brasileiros e paraguaios que foram a Puerto Iguazú tiveram que se submeter a esperas de mais de uma hora, como noticiou o portal Misiones On Line.

Nessas filas, fica quem quer economizar, mas também poderiam facilitar a vida dos brasileiros. Foto abaixo: Julio Ortega/Facebook

UM SÓ FUNCIONÁRIO

O portal ouviu o secretário de Turismo de Foz, Paulo Angeli, que reclamou em nome dos brasileiros. Segundo ele, “no lado argentino havia apenas uma pessoa fazendo as verificações dos comprovantes de vacinação e teste” (no caso, PCR, exigido dos turistas, e não dos iguaçuenses e dos moradores de cidades brasileiras a até 50 km de Foz do Iguaçu).

“São erros que não se podem aceitar, porque em dias em que se sabe que haverá alta demanda devem ser colocados reforços”, disse Angeli em entrevista ao Misiones On Line TV.

Segundo o secretário de Foz, cada país tem uma realidade sanitária diferente. No lado brasileiro, “entendemos que é necessário o controle sanitário, mas também a facilitação. Compartilhamos (com a Argentina) uma maravilha da natureza, vem gente do mundo inteiro para conhecer e cremos que é preciso encontrar formas de facilitar os trâmites para esses turistas”, afirmou.

Angeli reconheceu que a reabertura da fronteira argentina já contribuiu para movimentar ainda mais o turismo em Foz, com brasileiros e estrangeiros que vêm e querem conhecer também o lado argentino. Muitos, por causa das Cataratas, mas também para “degustar vinhos e conhecer a gastronomia, que é muito famosa no Brasil”.

NEGOCIAÇÕES

Segundo o portal Misiones On Line, o secretário de Turismo, José María Arrúa, se reuniu com representantes das Migrações tanto na Aduana argentina como na brasileira.

Houve também reuniões de representantes do setor público e privado de Misiones, com a Direção Nacional de Aduanas da Argentina, no sentido de somar esforços para acelerar a passagem de turistas provenientes do Brasil.

“Queremos que a passagem seja de uma maneira mais rápida, priorizando o controle e não a burocracia do protocolo”, arrimou Arrúa.

“Contamos com as medidas e normas necessários para sustentar o turismo seguro que vimos desenvolvendo na província, mas há questões que demoram e por isso obstaculizam a passagem. Queremos reduzir esses tempos para motivar também as visitas”, completou.

WI-FI À DISPOSIÇÃO

Uma das medidas adotadas foi habilitar wif-fi livre e gratuito no posto de saúde da Aduana da Argentina, para permitir que seja baixado o formulário solicitado por Migrações para entrar no país.

Muitos brasileiros, contou El Territorio, ao chegar ao posto, não contavam com internet em seu celuar, e eram obrigados a pedir ajuda aos funcionários do organismo e a outras pessoas, situação que atrasava o trâmite. A partir desta quarta-feira, o problema estará resolvido.

Gostou do texto? Contribua para ampliar o jornalismo em Foz do Iguaçu. ASSINE JÁ

Já escutou o último episódio do GUARÊ, o podcast do H2FOZ? OUÇA AGORA

Claudio Dalla Benetta - H2FOZ

Cláudio Dalla Benetta é jornalista e repórter do H2FOZ. e-mail: [email protected] Veja mais mais conteúdo do autor.

Claudio Dalla Benetta - H2FOZ tem 1160 posts e contando. Ver todos os posts de Claudio Dalla Benetta - H2FOZ

error: O conteúdo protegido !!! Este conteúdo e de exclusividade do H2FOZ.