Frio dá novo ânimo a pequeno comércio de Ciudad del Este

Mesmo mais caros por causa do real desvalorizado, há grande procura por agasalhos. Foto: jornal La Clave
Siga a gente no

Depois de uma prolongada crise por causa das restrições provocadas pelo coronavírus, os vendedores de via pública do centro comercial de Ciudad del Este comemoram.

Segundo o jornal La Clave, a chegada cada vez maior de compradores brasileiros anima os vendedores.

Os brasileiros chegam em veículos particulares e até em ônibus. E o resultado é um aumento progressivo no volume das vendas.

REAL DESVALORIZADO

Os turistas (e iguaçuenses) vão em busca de roupas de frio e cobertores, apesar da “quase nula vantagem que oferece a relação dólar/real”, como lembra La Clave.

Um dos comerciantes, Ever García, disse que, antes da pandemia, uma mercadoria que custava US$ 10 era adquirida por R$ 40 pelos brasileiros.

“Agora, estão pagando quase R$ 60, mas mesmo assim os turistas estão vindo fazer compras e devagar estamos recuperando o dinamismo comercial”, afirmou.

Segundo ele, “desde as primeiras horas turistas ocupam as ruas do centro, principalmente nos finais de semana”.

DEMISSÕES

O jornal lembra que 2020 foi muito complicado para o turismo de compras, com o fechamento da fronteira com o Brasil por mais de seis meses.

O resultado foi o fechamento de lojas e demissão massiva de empregados. Calcula-se que 50 mil pessoas perderam emprego em Ciudad del Este.

É proibida a reprodução total ou parcial deste conteúdo sem prévia autorização do H2FOZ.

Claudio Dalla Benetta - H2FOZ

Cláudio Dalla Benetta é jornalista e repórter do H2FOZ. e-mail: [email protected] Veja mais mais conteúdo do autor.

-->