Marca argentina de azeite de oliva está proibida no Brasil

Azeite Valle Viejo, encontrado no comércio da fronteira, foi barrado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) em 2021.

Apoie! Siga-nos no Google News

Na última quarta-feira (12), agentes da Polícia Federal (PF) apreenderam, durante ações de combate ao contrabando e ao descaminho em Foz do Iguaçu, em bairros próximos à fronteira com a Argentina, três veículos com mercadorias trazidas ilegalmente do país vizinho. Um dos itens encontrados era o azeite de oliva da marca Valle Viejo.

Leia também:
Prefeitos cobram agilidade para a travessia da fronteira com a Argentina

O produto em questão está com a venda proibida em território brasileiro, desde 2021, após resolução da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), que apontou problemas quanto à formulação, que não atenderia aos requisitos mínimos estabelecidos para a comercialização de azeites no país.

A Resolução RE n.º 1.303, de 30 de março de 2021, determina a proibição de “comercialização, distribuição, fabricação, propaganda e uso” de todos os lotes do “Aceite de Oliva Extravirgen Olivares del Valle Viejo”, argumentando que a rotulagem do produto traz “informações incompletas e falsas sobre identificação da origem”.

“Além disso, todas as análises conduzidas no produto, em programa de monitoramento de azeite pelo Ministério da Agricultura e Abastecimento (MAPA), tiveram resultados insatisfatórios, por descumprimento aos requisitos de composição e aos padrões de identidade e qualidade, não obedecendo às características mínimas de qualidade do azeite de oliva estabelecidas na legislação sanitária”, complementa a resolução.

Dessa forma, os órgãos de fiscalização posicionados na fronteira, como a Polícia Federal, a Receita Federal e a própria Anvisa, estão autorizados a fazer a apreensão do produto, por mais que o consumidor tenha comprado apenas para uso próprio, dentro da cota e das quantidades permitidas no regime de bagagem acompanhada.

Operação Lampante

No último dia 23 de maio, a Polícia Federal deflagrou, em Foz do Iguaçu, a Operação Lampante, com o objetivo de combater a comercialização de azeite de oliva argentino adulterado. Um dos alvos da operação foi um casal que vendia o azeite da marca Valle Viejo na internet.

“Laudos periciais, realizados anteriormente, apontaram que o produto em questão é uma mescla de óleos de soja e girassol e apresentou acidez de 5,2%. Vale frisar que, de acordo com as normas brasileiras, o azeite se torna impróprio para consumo humano quando a acidez é superior a 2%”, relatou, na ocasião, a Polícia Federal.

Segundo a PF, foi cumprido mandado de busca e apreensão na casa dos investigados, com o confisco de garrafas do produto, enviadas para exames periciais. “Ao se confirmarem as suspeitas, o casal será indiciado no crime de adulteração de substância alimentícia, cuja pena poderá alcançar oito anos de reclusão”, informou a corporação.

LEIA TAMBÉM
41 Comentários
  1. Marcos Diz

    Como se trata de azeite não seria descaminho? Contrabando não é quando se trata de produtos implícitos?

  2. Anderson Diz

    No crime de descaminho, o crime é relacionado ao não pagamento do tributo devido. Ou seja, o crime está relacionado com o pagamento de tributo e não com a mercadoria ser proibida. Já o crime de contrabando consiste em “importar ou exportar mercadoria proibida” no Brasil

  3. Toninho Diz

    Bom mesmo, para a Anvisa, são azeites como Galo,?Andorinha, e outros que atendem suas exigências, isso é, não tem absolutamente nem sabor de azeite. Fora as manteigas comercializadas no Brasil que não tem nenhum sabor.

  4. Ronald Diz

    Caríssimos. O azeite foi proibido por causa da acidez de 5,2 que é impróprio para o consumo e não por causa do rótulo… foi o que eu entendi, apesar do foco da notícia não ser bem legível

  5. José Silva Diz

    Quando a Valle Viejo encaminhar o pix para Anvisa o percentual de acides diminuirá e tornará o produto apto para o consumo.

  6. cerqueira Diz

    o q nao falta no Brasil, é azeite ruim, falsificado… a maioria tem oleo de soha no meio… qta hipocrisia desse pessoal da fronteira

  7. Rogerio Diz

    Bom para os negativismo, seria ,se tudo que vem falsificado de outros países, entrassem livremente em nosso território, tais como drogas , armas, bebidas e outros…
    Parabéns aos Órgãos de Contrôle

  8. Eliete Lucas Diz

    Afinal,a notícia é verdadeira ou não? Preciso saber, porque faço uso desse azeite, compro de alguém que busca lá…

  9. Rogério S. Souza Diz

    Eu não quero entrar na celeuma, mas vale lembrar que, durante os testes realizados em laboratório, segundo uma reportagem que vi durante a pandemia, os azeites da marca Valle Viejo que foram apreendidos na época estavam misturados não apenas com óleo de soja e de milho, mas com óleo de lamparina, coisa que, dificilmente é pra consumo humano. Também tem o fato que o próprio Valle Viejo enfrenta problemas com sua qualidade sendo questionada pelo equivalente à Anvisa argentina.

  10. Guilherme Wojciechowski Diz

    Boa tarde, Eliete. O link para a resolução da Anvisa está disponível no texto.

  11. Adalgisa Diz

    Tenho em casa e vou doar pra quem faz sabão. O gosto real e de óleo de lamparina. Horrível. Dinheiro jogado fora lembrando que a 1a vez que comprei era excelente.

  12. João Diz

    A Anvisa não tem moral para julgar o azeite em questão. Ela liberou os inoculantes mortais para o povo brasileiro, agora fingem que estão preocupados com a saúde pública. Hipócritas!

  13. Nelson Diz

    Tudo conversa para boi dormir. Porque então essa porra de pais de merda não produz azeite ?

  14. Data Venia Diz

    A garrafa de 2 litros é boa. O galão de 5 litros é que não tem aroma, nem sabor de azeite.
    De qualquer forma, acredito que essa ação da Anvisa tem mais a ver com a concorrência do que com a preocupação com a saúde dos brasileiros.

  15. Maria Aparecida Milagres Barbosa Diz

    O melhor azeite é o tradicional de meus antepassados avós.((((Banha suína feita em casa com o porquinho que era orgânico.(((Os que estão sendo comercializado hj é mesmo uma bosta fedorenta.

  16. Gilvan Diz

    Confiança demora prá conseguir e perde em minutos. Esta marca jamais venderá no Brasil. Tá morta!

  17. Paulo Afonso de Camargo Diz

    Uso e tem cheiro e gosto de azeite de oliva, outras marcas não tem nem cheiro e gosto, como pode ser falsificado.

  18. José Machado Diz

    Esse azeite fez tanto sucesso que começou a ser falsificado. Esse produto falsificado que foi apreendido e constatada a irregularidade. Mas o autêntico é de qualidade insuportável a indústria brasileira faz lobby para que sua comercialização seja proibida no país para que não possamos comparar com a porcaria produzida aqui comercialmente. O azeite brasileiro é caríssimo e de v péssima qualidade. A excessão são para poucos professores que infelizmente tornam inviáveis a compra por causa do preço.

  19. Valter de souza Diz

    Se o produto não atende as especificações recomendadas,tem que ser proibido mesmo e fim de papo!!!!

  20. Núcia Gouvea Diz

    Parabéns aos órgãos competentes pelo trabalho de fiscalização séria!

  21. Luiz Carlos Diz

    Há um equívoco quando fala em 2 ph de acidez, isso é pH de soda cáustica e 5,3 está apto pra consumo

  22. Zeno y Diz

    Azeite de oliva na Argentina? Acho que só o cicinero tem qualidade..aqueles vendidos em garrafões se só tiver óleo de soja já é muita sorte.

  23. Mary Diz

    Qual e de onde é o melhor azeite de Oliva para consumo

  24. Roberto Diz

    Melhor azeite que já usei. Sempre que encontrar eu vou comprar desse azeite, pois nenhum azeite que encontro em lojas no Brasil de marcar importadas, chegam perto desse azeite Argentino.

  25. Marcio Diz

    O que chamam de óleo de lamparina nada mais é do que o azeite com acidez mais alta. Os limites não baterem com as descrições podem ser realmente conflitivos. Mas o azeite de supermercado já não é mais azeite há muito tempo. E isso ninguém resolve. Aí os caras conseguem fazer um azeite que derruba a concorrência em aroma e sabor. Isso incomoda muita gente. Muita gente usa e gosta. Não confio nos azeites de prateleira.

  26. Ronaldo Vasconcelos Diz

    Compro uso e boa

  27. Marinei Diz

    Ainda falando do tal do azeite, já faço uso a mais ou menos 1 ano, amo o gosto, o cheiro, simplesmente maravilhoso. Todos da nossa família aprovam o azeite argentino dessa marca.

  28. WILMAR CAMILO DE OLIVEIRA Diz

    Permita-me expor um pensamento lógico. A amostra do Azeite analisado foi colhida na fonte (fabricante) ou foi colhida no revendedor na Vila Porte? Se foi feita no fabricante e resultou na proibição eu devo acatar a decisão. Agora se foi no revendedor deveria prender ele por falsificação. Gosto do azeite Agentino. Infelizmente os produzidos aqui e ” IMPORTADOS” deixam muito a desejar em sabor. Minha sugestão é FAZER A MESMA ANÁLISE DOS PRODUZIDOS E IMPORTADOS VENDIDOS NOS MERCADOS. Não venham com essa de SÃO FISCALIZADOS NA ORIGEM pós já comi papelão por carne e tomei leite com soda cáustica vendidas aqui.

  29. Arlene Diz

    Há muito tempo faço uso desse azeite, é excelente. Já comprei o Português e a italiano, caríssimos que não podem comparar ao Valle Viejo. Os que estão à venda nos supermercados não podem chegar ao rasto desse azeite, sabor e cheiro inigualaveis. Se o pessoal da Anvisa passar a consumir, vai mudar de ideia e deixar de perseguir essa marca e passaria a investigar outras que tem sabor e cheiro de óleo rançosos.

  30. Rafael Diz

    Pessoal faça o teste como eu fiz e verá q este óleo é misturado. Quando fiz o teste parei de consumir. O teste é simples coloca o azeite em um recipiente pequeno de 1 dedo de altura e coloca no congelador e deixe por 1 dia e depois tira, e depois de congelado aperte o dedo no azeite, se afundar o dedo afundar é misturado e ficar firme o azeite é bom

  31. Sandra Diz

    Fazia uso desse azeite e foi até agora o melhor que já usei, sabor autentico!!

  32. Angela Diz

    Faz dois anos que uso este azeite. Vou fazer o teste de congelar-lo como alguém falou. De todas as formas não acredito nessa notícia. Penso que trata-se de uma questão de impostos e competitividade com os produtos brasileiros. Não confio mais em esses órgãos de fiscalização. Nós últimos tempos a verdade é a última coisa que chega até nós.
    Faz pouco tempo fiz vários exames de sangue e não mostraram nenhuma alteração ruim, só falta de vitamina D, SOL.

  33. Lea Avelar Diz

    Isso é intriga da oposição, amo o azeite Vale viejo, estou louca para comprar

  34. Telma Diz

    Já usei esse azeite e o sabor é diferenciado, superando os que temos aqui, além dos preços exorbitantes que cobram. Realmente fico indegura de continuar usando. Dias atrás li uma pesquisa dos ranking dos azeites e o cocineiro ficou em 3° lugar, mas eu particularmente o acho sem gosto de azeite. Gallo e outros nem olho nas prateleiras.

  35. Elizabeth Diz

    Tenho feito uso e o sabor é aroma é muito bom.Faz toda diferença de outros azeites.ate agora cliente nenhum reclamou pelo contrário acham muito saboroso.tem sabor de azeitona

  36. Rodrigo Diz

    O problema não é o azeite. O problema que o preço e barato. E está matando essa marca brasileira
    Daí o empresário bate em cima. Vou largar de compra um galo de 5 litros de azeite 70 reais na Argentina. Para pagar 29 reais em 500 ml no Brasil. O que no Brasil e misturado com óleo vegetal.

  37. CESAR Diz

    MELHOR AZEITE QUE EXISTE. FAZ ANOS QUE USO. ISSO É NOTÍCIA PLANTADA DAS GRANDES INDÚSTRIAS DO BRASIL QUE COBRAM CARO POR PORCARIA E A VALLE VIEJO QUE VEM DE FORA NAS “MUAMBAS” DE FOZ ESTÁ TOMANDO O MERCADO.

  38. Isaías Diz

    Tem muita falsidade e pouca vergonha nessa tal de Anvisa pois, nesse nosso país o que mais tem é corrupção, porque não investiga essas marcas galo, andorinha que se dizem importados, “Rótulos” e são envasados por estas bostas de refinadoras de óleos brasileiras? Não tem diferença nenhuma entre a Merda e a Bosta! E diante disso que não dá pra confiar em ninguém e muito menos nesses órgãos de fiscalização, Eu estou fazendo meu azeite com azeitonas e garanto que é puro. Muitos alimentos eu mesmo faço como Carne Seca e outros…

  39. Jose martins ferreira Diz

    Do ano de 2000 a 2007 migrei em portugal.usei do azeite deles,tanto de supermercado quanto os fabricados nas quintas.e o unico azeite que usei aqui no brasil que aproxima de longe do deles E O VALLE VIEJO DA ARGENTINA

  40. Jose martins ferreira Diz

    Sr jornalista solicito-lhe checar se a marca analizada no fabricante

  41. Lucia Diz

    Já experimentei muitos azeites brasileiros e nenhum chega aos pés deste que está sendo tão mal falado.
    Quero acreditar que por acaso tenham pêgo amostra de azeite adulterado, no mais, acho que o que querem é difamar a marca que é deliciosa. Não deixarei de comprar.

Comentários estão fechados.