Operação na fronteira retém R$ 100 mil em mercadorias e cinco veículos

Em uma abordagem, a fiscalização encontrou carga de celulares de marca chinesa, avaliados em R$ 30 mil.

Apoie! Siga-nos no Google News


Fiscalização da Receita Federal do Brasil (RFB) apreendeu R$ 105 mil em mercadorias irregulares e cinco veículos na fronteira. As abordagens, nessa quinta-feira, 23, foram na região da Ponte Internacional da Amizade e em São Miguel do Iguaçu, no Oeste.

LEIA TAMBÉM: Justiça suspende concurso da Guarda Municipal em Foz do Iguaçu até nova lista

Pela manhã, uma caminhonete foi retida no estacionamento de um hotel na Vila Portes, com a caçamba carregada de cobertores e azeites. O condutor era hóspede do hotel. Os itens foram avaliados em aproximadamente R$ 5 mil.

Em outro estabelecimento hoteleiro, também na Vila Portes, a equipe de servidores confiscou aparelhos eletrônicos em duas abordagens. “As mercadorias foram avaliadas preliminarmente em R$ 20 mil e R$ 10 mil”, contabilizou a RFB.

Já em São Miguel do Iguaçu, um automóvel foi apreendido com mercadorias ocultas nas longarinas. Foram encontrados relógios inteligentes avaliados em R$ 40 mil. O veículo, ocupado por duas pessoas, foi identificado anteriormente no estacionamento do hotel.

E mais um carro foi retido na área urbana dessa mesma cidade, ocupado por uma pessoa. Ele estava carregado com 40 celulares de marca chinesa, avaliados preliminarmente em R$ 30 mil.
Os veículos e as mercadorias foram encaminhados à sede da Alfândega da Receita Federal em Foz do Iguaçu.

LEIA TAMBÉM
2 Comentários
  1. Diogo Diz

    Olá tudo bem Paulo gosto muito de ler suas matérias, tenho uma sugestão faz uma reportagem explicando como é revertido os produtos, o que acontece com toda essa grana porque é muito dinheiro. Todo dia é aprendido produtos. Interessante um reportagem falando sobre esse assunto

  2. Marcio Diz

    Verdade Diogo diz a RF só aprende não dá o direito de pagar o imposto e tentar reaver a mercadoria apreendida! Também não presta contas fique faz com a mercadoria apreendida tinha q ter mais transparência porq quem vive nesse ramo sabe o quanto RF apreende de mercadoria todos os dias são milhões

Comentários estão fechados.