Paraguai e Argentina retomam discussões sobre balsas na fronteira

Comissão bilateral busca destravar a habilitação de novos pontos de travessia nas águas do Rio Paraná.

Apoie! Siga-nos no Google News

Representantes dos governos do Paraguai e da Argentina retomaram, nessa quarta-feira (31), as discussões sobre a habilitação de serviços de balsa para a travessia entre cidades paraguaias e argentinas às margens do Rio Paraná. O encontro foi realizado em Buenos Aires, na sede do Ministério das Relações Exteriores da Argentina.

Leia também:
Renegociação do Tratado de Itaipu é tema de audiência em Brasília

Uma das autoridades presentes foi o cônsul do Paraguai em Puerto Iguazú, Magno Antonio Álvarez. Em pauta, o pedido de liberação da operação de balsas em dois pontos ao sul da fronteira com Foz do Iguaçu: entre Ñacunday (Paraguai) e Puerto Esperanza (Argentina); e entre Domingo Martínez de Irala (Paraguai) e Puerto Libertad (Argentina).

No caso da balsa entre Irala e Libertad, a Direção Geral de Marinha Mercante do Paraguai autorizou, em janeiro, a empresa Macuco Ecoaventura y Navegación SA, subsidiária paraguaia da empresa originária de Foz do Iguaçu, a operar a travessia fluvial. Falta, contudo, a liberação por parte da Argentina.

Atualmente, o deslocamento é feito em lanchas e barcos de particulares, sem horários regulares ou tarifas oficiais. A expectativa dos representantes paraguaios é a de agilizar a parte burocrática, tendo como base um acordo bilateral datado da década de 1970, que prevê o reconhecimento mútuo de autorizações entre os dois países.

A mais alta autoridade paraguaia presente no encontro foi o vice-ministro de Administração e Assuntos Técnicos do Ministério das Relações Exteriores, Juan Andrés Cáceres. Do lado argentino, o governo do país foi representado pelo diretor de Limites e Fronteiras da chancelaria, Gabriel Servetto.

LEIA TAMBÉM

Comentários estão fechados.