PF prende homem em Foz acusado de vender gasolina da Argentina em garrafa PET

Prática ilegal, comércio clandestino de gasolina oferece riscos por ser produto altamente inflamável - Foto: Divulgação

Diferença de preços na fronteira e limitação para abastecimento em Puerto Iguazú podem fazer comércio ilegal do combustível crescer em Foz do Iguaçu.

Policiais federais prenderam em Foz do Iguaçu, nessa segunda-feira, 20, um homem acusado de estocar gasolina contrabandeada da Argentina para revendê-la em Foz do Iguaçu. Essa prática é ilegal e oferece riscos à coletividade, conforme a Polícia Federal (PF).

WHATSAPP – Assine a nossa linha de transmissão.

TELEGRAM – Entre em nosso grupo.

A assessoria da corporação informou que o suspeito relatou aos policiais ter obtido o combustível em Puerto Iguazú de um atravessador. “Ao retornar para sua residência, o indivíduo preso distribuía o combustível contrabandeado em garrafas pets de 2 litros, estocando em sua residência”, diz o informe à imprensa.

Com o suspeito, a PF apreendeu dois veículos utilizados para o transporte do combustível argentino e 70 litros de gasolina. Segundo o relato policial, o homem havia trazido 300 litros de gasolina em sua última viagem a Puerto Iguazú.

“Além de ser uma prática ilegal, esse comércio clandestino de gasolina oferece riscos, já que o combustível é altamente inflamável. Não só pelo líquido em si, mas também pelo vapor que sai dos recipientes não próprios para seu armazenamento, podendo causar uma explosão”, reforçou a PF.

Ainda há risco de corrosão das garrafas PET, o que pode provocar vazamentos do líquido e intoxicação de pessoas próximas.
A Polícia Federal acredita que, com a grande procura pelo combustível argentino, devido à diferença de preços com o mercado brasileiro, esse comércio ilegal tende a crescer. Outro fator que pode levar a esse aumento são limitações de horário e quantidade no abastecimento nos postos da Argentina.

“A PF afirma que vem acompanhando esse tipo de atividade e que vai intensificar a fiscalização para inibir esse comércio ilegal que traz grandes riscos à população”, frisou a Polícia Federal em Foz do Iguaçu, por meio da assessoria.

Gostou do texto? Contribua para ampliar o jornalismo em Foz do Iguaçu. ASSINE JÁ

Já escutou o último episódio do GUARÊ, o podcast do H2FOZ? OUÇA AGORA

Paulo Bogler - H2FOZ

Paulo Bogler é jornalista e repórter do H2FOZ. e-mail: [email protected] Veja mais mais conteúdo do autor.