Ponte Tancredo Neves terá nova travessia de elefantas em maio

Elefantas Pocha e Guillermina no zoológico de Mendoza. Imagem: Santuário de Elefantes Brasil (SEB).

Pocha e Guillermina serão transferidas de um zoológico de Mendoza, na Argentina, para um santuário dedicado à espécie no Mato Grosso.

Duas elefantas asiáticas, mãe e filha, devem passar pelo limite entre Puerto Iguazú e Foz do Iguaçu, no mês de maio, em sua viagem rumo ao Santuário de Elefantes Brasil, localizado na Chapada dos Guimarães (MT). Pocha e Guillermina vivem em um zoológico que está sendo desativado na cidade argentina de Mendoza.

WHATSAPP – Assine a nossa linha de transmissão.

TELEGRAM – Entre em nosso grupo.

A viagem, com mais de 3,6 mil quilômetros, vem sendo preparada desde 2021, com custo estimado em US$ 74 mil (R$ 372 mil). Os animais farão o percurso em contêineres especialmente adaptados, com diversas paradas durante o caminho e acompanhamento de seu estado de saúde. A data exata ainda será definida. Não há previsão de uso de sedativos.

Vídeo de setembro de 2021, mostrando os preparativos da elefanta Pocha.

Os certificados ambientais para que a transferência seja possível foram emitidos em abril pelas autoridades argentinas, que fizeram uma inspeção na reserva particular mantida pela organização não governamental Santuário de Elefantes Brasil, que mantém o espaço com o apoio do projeto internacional Global Sanctuary for Elephants (GSE).

Futuramente, outros dois animais que habitam zoológicos de Mendoza, Kenia e Tamy, também serão transferidos para a Chapada dos Guimarães. O dinheiro para o transporte e a manutenção da estrutura necessária para o conforto dos elefantes é captado junto a organizações e doadores interessados na causa.

Em maio de 2020, durante o período mais crítico de fechamento de fronteiras provocado pela pandemia do novo coronavírus, a Ponte Tancredo Neves foi reaberta, por um breve instante, para a passagem da elefanta Mara, levada do antigo zoológico de Buenos Aires para curtir a “aposentadoria” no santuário brasileiro.

A travessia de Pocha e Guillermina estava prevista, originalmente, para agosto do ano passado, conforme noticiado à época pelo H2FOZ. O motivo do atraso está relacionado à demora na documentação para a transferência internacional de animais de grande porte.

Vídeo de setembro de 2021, mostrando os preparativos da elefanta Guillermina
Gostou do texto? Contribua para ampliar o jornalismo em Foz do Iguaçu. ASSINE JÁ

Já escutou o último episódio do GUARÊ, o podcast do H2FOZ? OUÇA AGORA

É proibida a reprodução total ou parcial deste conteúdo sem prévia autorização do H2FOZ.

Guilherme Wojciechowski - H2FOZ

Guilherme Wojciechowski é repórter colaborador do H2FOZ. E-mail: [email protected] - Veja mais mais conteúdo do autor.