Isabella, Stella e Gabriella estão em casa. Trigêmeas tiveram alta do Costa Cavalcanti

Só depois de 35 dias internadas, trigêmeas têm alta do Hospital Ministro Costa Cavalcanti e vão para casa com os pais.

Isabella, Stella e Gabriella – assim com a letra “ele” em dose dupla, pra dar mais charme – nasceram no dia 16 de julho, após apenas 32 semanas de gestação (o normal é 40 semanas). E foram liberadas dos cuidados médicos só nesta quinta-feira, 20.

Imagine a ansiedade e a alegria dos pais, Laís e André Philippsen, ao pegar no colo as trigêmeas, que continuam pequenininhas, com apenas um quilo e meio.

“Esses dias foram os mais intensos e desafiadores de nossas vidas, mas também mais cheios de amor e carinho”, disse a mamãe, que é farmacêutica do HMCC. “Nesse período fortalecemos nossa paciência, perseverança e fé! A felicidade de ir para casa hoje é indescritível”, comemorou.

A médica obstetra Carolina Oderich, responsável pelo parto das meninas, também estava emocionada. Ela contou que o parto de trigêmeos (ou trigêmeas), ainda mais que duas das bebês dividiam a mesma placenta, envolve alguns riscos.

“O procedimento foi um misto de emoção, felicidade e responsabilidade”, disse a médica, orgulhosa.

O pediatra das meninas, Origenes Capellani, disse que a prematuridade é sempre um desafio. “Não só para manter a criança viva, mas para evitar sequelas, como neurológicas e pulmonares, por exemplo.” E mais desafiador ainda é tratar, ao mesmo tempo, três prematuras.

“Precisamos comemorar a vitória. É sempre empolgante, ainda porque o desenvolvimento delas foi muito melhor que o esperado, já que não precisaram ficar entubadas, responderam bem ao tratamento e não evoluíram para infecção, o que é muito comum para os prematuros”, disse o médico.

Laís e André Philippsen sonhavam em ter um filho. Como não conseguiam, recorreram a vários tratamentos, até que Laís engravidou. Mal sabiam que o sonho seria triplo.

As trigêmeas nasceram no dia 16 de julho, e desde então permaneceram internadas na Unidade de Tratamento Intensivo Neonatal e de Cuidados Intermediários do Hospital Ministro Costa Cavalcanti. Ao longo desse tempo, as menininhas travaram diversas batalhas pela vida.

Carolina Oderich lembrou que as trigêmeas nasceram no meio da pandemia do novo coronavírus, o que dificultou o registro de fotos profissionais.

Mas, quando elas tiveram alta da UTI Neonatal e foram para Unidade de Cuidados Intermediários, os papais das trigêmeas receberam da equipe um presente inesquecível: o Diário do Prematuro.

“Lá nós contamos a história de cada prematura durante os dias que passaram com a gente na UTI”, explicou a enfermeira gerente da Unidade, Cassia Estabelini.

O Hospital Costa Cavalcanti faz cerca de 400 partos por mês. Ele possui 10 leitos de UTI Neonatal e 14 de UCI e Mamãe Canguru. Só em 2019, 532 bebês passaram por essas unidades. Em 2020, o número de internações está em 202.

error: O conteúdo é de exclusividade do H2Foz.