Perspectivas para o futuro do iguaçuense Pepê no Porto

Foto: Divulgação/FC Porto

Em fevereiro de 2021, o Futebol Clube do Porto anunciava através de seu site oficial a contratação do atacante Pepê, do Grêmio, o qual se juntaria à equipe portuguesa a partir de julho daquele mesmo ano. Àquela altura, o gremista de 23 anos já era um dos mais ilustres atletas nascidos em Foz do Iguaçu, levando-se em conta não só os seus cinco anos defendendo as cores de um dos grandes do futebol brasileiro como também as suas atuações pela seleção brasileira sub-23 no Torneio Pré-Olímpico Sul-Americano de 2020, quando marcou três gols em seis jogos.

Para contratar Pepê, o Porto desembolsará até meados deste ano um total de 15 milhões de euros, ou seja, aproximadamente 100 milhões de reais. Um valor e tanto a ser destinado não apenas aos cofres do Grêmio. Numa matéria publicada aqui no H2FOZ em fevereiro de 2021, o repórter Vacy Junior informou que o Foz do Iguaçu FC — que no ano passado conquistou o acesso à Segunda Divisão do Campeonato Paranaense de 2022 — detinha 30% dos direitos econômicos do jogador. Consequentemente, o clube da terra natal de Pepê receberia algo em torno de 30 milhões de reais por essa negociação.

WHATSAPP – Assine a nossa linha de transmissão.

TELEGRAM – Entre em nosso grupo.

Eis uma bela notícia para uma equipe sediada em uma cidade cujo foco não é necessariamente o futebol, mas sim sua exuberante natureza, suas cataratas e sua usina. De fato, a transferência de Pepê a Portugal foi, para o Foz do Iguaçu, uma grata surpresa também em termos de visibilidade. Mais de uma matéria na imprensa brasileira destacou o papel do clube na formação do jogador, sendo talvez a escrita pelo repórter Guilherme Moreira, para o portal ge, a mais relevante. Nela, lembrou-se que o Foz pode ganhar ainda mais em caso de uma revenda de Pepê por parte do Porto, o que, dado o histórico do clube português, não é nem de longe uma possibilidade remota.

Possibilidades de crescimento para Pepê

No entanto, mesmo que aconteça de o brasileiro permanecer no Porto por muitos e muitos anos, o ex-atacante do Grêmio já terá mais que justificado todo o investimento feito nele por parte do Foz do Iguaçu, do Coritiba e do Athletico Paranaense — os três clubes por onde passou antes de se profissionalizar. E, por mais que ninguém ignore a cláusula rescisória de 70 milhões de euros em seu atual contrato, podemos pensar no sucesso profissional de Pepê também em termos de possibilidades de o iguaçuense se naturalizar português e defender a seleção deste país — a exemplo do que, como lembrou a revista Placar, foi feito mais recentemente por Matheus Nunes, do Sporting.

Mas, visto que Pepê ainda está para ganhar seu espaço entre os titulares do Porto, talvez seja demasiado cedo para se falar nisso — e basicamente por duas razões. A primeira é o fato de esta ser a temporada de estreia do brasileiro em um clube europeu, onde as demandas táticas (e às vezes também físicas) são notoriamente maiores do que as do futebol sul-americano. A segunda é o fato de Pepê atuar pela ponta esquerda, onde o titular do time é ninguém menos do que o colombiano Luis Díaz — considerado nesta temporada o melhor jogador não só do Porto mas de todo o Campeonato Português.

A oportunidade representada pela Liga Europa

Talvez a oportunidade perfeita para Pepê elevar seu status perante seu treinador, Sérgio Conceição, seja a participação de sua equipe na atual edição da Liga Europa. Embora esta seja uma competição que os portistas sem dúvida adorariam vencer pela terceira vez (foram campeões em 2002–03 e 2010–11), todos no clube têm ciência de que o Porto não é o favorito para o título, conforme demonstram as projeções feitas por casas de aposta. Em 11 de janeiro, por exemplo, a casa de apostas online Betway oferecia um retorno de 21,00 por essa conquista dos Azuis e Brancos de Portugal, o que estava muito acima do que era oferecido pelas apostas nas conquistas de Borussia Dortmund (6,50) e Sevilla (8,00).

De qualquer forma, aos poucos Pepê já vai conseguindo mostrar seu valor em Portugal, e o melhor exemplo disso aconteceu no último dia 30 de dezembro, quando foi titular no lugar de Luis Díaz, que teve de se ausentar por questões médicas. Não estamos falando aqui de uma partida qualquer, mais sim de um clássico contra o Benfica, pela 16ª rodada do Campeonato Português. O brasileiro terminou como um dos melhores em campo naquele jogo, tendo marcado o segundo gol da vitória dos portistas por 3 x 1 sobre seus arquirrivais de Lisboa.

Se o iguaçuense for capaz de se destacar novamente em outros duelos de similar importância dentro dos próximos meses, o ano de 2022 tem tudo para ser o da afirmação de Pepê na Europa. Nós aqui ficamos na torcida pelo sucesso do nosso conterrâneo.

Gostou do texto? Contribua para ampliar o jornalismo em Foz do Iguaçu. ASSINE JÁ

Já escutou o último episódio do GUARÊ, o podcast do H2FOZ? OUÇA AGORA

É proibida a reprodução total ou parcial deste conteúdo sem prévia autorização do H2FOZ.

NEGÓCIOS

Esta página faz parte da seção Negócios e não integra o conteúdo jornalístico do H2FOZ.