Foz do Iguaçu confirma primeiro caso de varíola dos macacos

Trata-se de um homem com histórico de viagem a São Paulo. Paciente cumpre isolamento domiciliar.

Apoie! Siga-nos no Google News

Trata-se de um homem com histórico de viagem a São Paulo. Paciente cumpre isolamento domiciliar.

A Secretaria da Saúde de Foz do Iguaçu confirmou, nessa segunda-feira (15), o primeiro caso de monkeypox – doença conhecida popularmente como varíola dos macacos – no município. Outros oito casos suspeitos estão sob investigação.

De acordo com o boletim divulgado pelo Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde (CIEVS Fronteira), trata-se de um caso importado, do sexo masculino, na faixa etária de 20 a 29 anos, com histórico de viagem a São Paulo (SP). O diagnóstico foi realizado no Instituto Adolfo Lutz (IAL-SP).

O paciente está em bom estado de saúde e cumpre isolamento domiciliar, sendo acompanhado pela equipe do CIEVS. No Paraná, há 62 casos confirmados da doença. No Brasil, já são quase três mil, com o registro de um óbito.

O que é?

A monkeypox é uma doença viral causada pelo vírus monkeypox do gênero Orthopoxvirus e família Poxviridae, cuja transmissão para humanos pode ocorrer por meio do contato com animal ou humano infectado, ou com material corporal humano contendo o vírus. Geralmente, é uma doença autolimitada, com os sintomas que duram de duas a quatro semanas, com o período de incubação variando de cinco a 21 dias.

Como é transmitida e como se prevenir?

A contaminação ocorre entre humanos, principalmente por meio de contato pessoal com secreções respiratórias, lesões de pele de pessoas infectadas ou objetos recentemente contaminados. Ela pode ocorrer também por meio de relação sexual. A pessoa infectada só deixa de transmitir o vírus quando as crostas desaparecem da pele. A população em geral pode prevenir-se também fazendo o uso de máscara e higienização das mãos.

Quais são os sintomas?

Os sinais e sintomas incluem:

– erupção cutânea sugestiva de monkeypox;
– febre;
– calafrios;
– exaustão;
– cefaleia;
– adenomegalia (crescimento de um ou mais linfonodos);
– dores musculares;
– dores nas costas;
– dor retal;
– sangramento retal;
– edema peniano.

LEIA TAMBÉM

Comentários estão fechados.