Foz tem mais de 7 mil notificações de dengue e 458 casos confirmados; maior incidência é em mulheres

Devido ao aumento da procura, 4 unidades de saúde ampliam horário à noite para atender a casos suspeitos da doença; surto de chikungunya no Paraguai preocupa saúde no município.

Apoie! Siga-nos no Google News

Em profusão de ocorrências, Foz do Iguaçu tem mais de sete mil notificações para dengue, com 458 casos confirmados e uma morte atribuída à doença. Os números são do ano epidemiológico que começou em agosto de 2022.

LEIA TAMBÉM: Paraguai tem 28 mortes por chikungunya desde dezembro

Com efeito, quatro unidades básicas de saúde (UBSs) ampliarão o horário de atendimento até às 22h. Pessoas com sintomas leves da doença devem procurar a unidade mais próxima, e os casos de moderados a graves serão atendidos nas UPAs e no Hospital Municipal.

“Além da Unidade do Cidade Nova, que já atende no período noturno, e terá uma equipe extra das 19 às 22 horas, as UBSs da Vila Yolanda, Profilurb II, Morumbi III e São João terão expediente até as 22h”, informa a Agência Municipal de Notícias. A ampliação do horário ocorrerá a partir de 1.º de março.

Dos casos de dengue em Foz do Iguaçu, a maioria (56%) afeta mulheres, especialmente na faixa etária de 15 a 29 anos. Já os casos de chikungunya somam 34 notificações e sete casos confirmados de pessoas residentes na cidade e 17 de não residentes.

A grande preocupação das autoridades em saúde é com o surto de Chikungunya no Paraguai”, ressalta a AMN. O país vizinho já contabiliza 23.838 casos e 23 mortes pela doença, com maior incidência na capital, Assunção.

As autoridades sanitárias alertam que dengue, zika e chikungunya têm sintomas muito parecidos, entre eles dor de cabeça. “A orientação para todos os casos é a mesma: buscar a unidade de saúde mais próxima de casa aos primeiros sintomas”, reforça a prefeitura.

LEIA TAMBÉM

Comentários estão fechados.